Opel anuncia avanços nas áreas de consumos e emissões

opel-noxAs dúvidas e toda a polémica despoletada com o caso “Dieselgate” parecem estar a trazer resultados benéficos para os consumidores.

Assim, depois do grupo PSA ter tomado a iniciativa de divulgar publicamente os valores de consumo e emissões dos seus carros, em condições reais de utilização, apurados por um organismo independente, foi a vez de a Opel anunciar a divulgação pública dos dados de consumo e emissões atingidos no novo ciclo de testes WLTP.

Mas a marca alemã vai ainda mais longe e anuncia que está a evoluir os sistemas de retenção catalítica de gases aplicados nos seus motores.

Este trabalho de aperfeiçoamento da tecnologia SCR deverá oferecer igualmente a possibilidade a cerca de 43 mil proprietários de veículos que já estão nas estradas europeias (Zafira Tourer, Insignia e Cascada) de se dirigirem a uma oficina Opel para instalarem novas calibrações.

Antes disso, além da habitual informação oficial sobre consumo de combustível e CO2, a partir do segundo trimestre de 2016 a Opel vai divulgar os valores resultantes do novo ciclo de testes WLTP, uma iniciativa que será iniciada com o novo Astra.

Opel vai divulgar valores apurados de consumo e emissões mais fiáveis e evoluir na redução de NOx

Este novo procedimento de testes tem aceitação alargada na indústria e foi desenvolvido para ser mais representativo da experiência dos utilizadores. Este novo padrão de testes – que também são conduzidos em laboratório – assenta em procedimentos mais exigentes, com maior consonância com consumos de combustível e de emissões de CO2 verificados em condições reais.

Assim, a partir de 2017, todos os novos veículos vendidos na União Europeia terão de ser submetidos ao “Worldwide Harmonized Light Duty Vehicles Test Procedure” (Procedimento Global Harmonizado de Testes de Veículos Ligeiros), ou WLTP.

Para obter os melhores resultados e ficar preparada para o cumprimento de regras futuras cada vez mais exigentes, o construtor alemão tem estado a trabalhar em novas melhorias da tecnologia SCR (Redução Catalítica Seletiva) para aplicações em motores Diesel.

O objetivo é atingir reduções significativas no capítulo das emissões de óxidos de azoto (NOx) e do tratamento de outros gases de escape em motores Diesel Euro 6, apontando na direção das futuras normas RDE.

O padrão RDE de emissões em condições reais complementa os métodos de teste atuais e mede as emissões do veículo diretamente em utilização em estrada.

 

Modelos atuais podem ser recalibrados

 

O trabalho de aperfeiçoamento da tecnologia SCR na Opel já começou e a marca espera ser capaz de implementar soluções melhoradas em produção a partir do verão de 2016. Este plano deverá oferecer igualmente a possibilidade a cerca de 43 mil proprietários de veículos que já estão nas estradas europeias (Zafira Tourer, Insignia e Cascada) de se dirigirem a uma oficina Opel para instalarem novas calibrações.

«Já ficou demonstrado que não temos dispositivos que detetam se os nossos veículos estão a ser submetidos a ciclo de testes. Todavia, também acreditamos que conseguimos melhorar ainda mais a eficácia da redução de emissões de óxidos de azoto nos nossos motores Diesel Euro 6 que têm tecnologia SCR, logo levando-nos a caminhar para as futuras especificações RDE», sublinha Karl-Thomas Neumann. «Vamos manter os catalisadores de redução seletiva de gases de escape como o nosso sistema principal em motores Diesel Euro 6, ao mesmo tempo que continuamos a desenvolver melhores tecnologias para alcançar maior eficiência.»

O CEO da Opel, Karl-Thomas Neumann, também apela a mais transparência na partilha de informações entre os fabricantes de automóveis e as autoridades europeias. «Nos Estados Unidos, as empresas fornecem a sua filosofia de calibração às autoridades. Gostaria que implementássemos essa prática na Europa». Neste contexto, Neumann também pretende sugerir que todos os fabricantes com atividade na Europa discutam um acordo para praticar maior transparência.

(Visited 70 times, 1 visits today)