TCO: familiares médios em confronto

Apesar de incidir sobre as versões de 5 portas, este estudo elaborado pela TIPS 4Y produz factos curiosos quando comparado com as versões carrinha correspondentes

Devido à importância que o segmento C tem nas compras das empresas, depois de nos termos debruçado sobre as carroçarias carrinha na edição de setembro, olhamos agora para as versões de 5 portas.

Esta decisão tem a ver também com o facto de, entretanto, terem surgido algumas novidades: Seat Leon e Volkswagen Golf renovaram-se este ano e há uma geração nova de um modelo que está à procura do seu espaço neste mercado: o Hyundai i30.

Olhando para o estudo, a constatação mais imediata é a de que o carro melhor colocado em termos de TCO é o novo Renault Mégane equipado com o mais que comprovado motor 1.5 dCi de 110 cv.

Ele obtém a melhor posição neste comparativo, fruto sobretudo do preço de aquisição mais reduzido e do valor residual mais elevado, um ponto acima da média.

Em quase todos os restantes itens analisados (manutenção, pneus e consumos), o Mégane 1.5 dCi supera os respetivos indicadores médios.

Por isso, dada a escassa diferença para outros dois “best seller” da classe – Astra 1.6 CDTi e 308 BlueHDi 120 -, a ordem de classificação pode alterar-se em resultado de uma negociação mais apurada.

Nomeadamente no caso do Peugeot, já que é aquele que apresenta despesas mais reduzidas em termos de manutenção e pneus.

5 portas vs SW/ST/Variant

Como atrás foi referido, no verão de 2016, a análise TCO ao segmento médio fez-se com uma abordagem apenas às station wagon.

Na altura, o modelo melhor posicionado foi o 308 SW, com este motor a gasóleo de 120 cv.

Os dados foram atualizados e o novo estudo permitiu chegar a algumas conclusões interessantes, uma das quais a supremacia, em termos de custos de utilização, da carroçaria mais familiar da gama 308.

Como aconteceu no estudo anterior, em termos de valores, a carrinha 308 supera por cêntimos o custo médio por 100 km da sua concorrência mais direta, com a curiosidade de, nesta contenda, imiscuir-se a carrinha Seat Leon.

E ela é, em termos de valor residual, a que surge melhor colocada, tal como acontece com a versão de 5 portas.

Olhando somente para os residuais, as carroçarias carrinha ficam alguns pontos acimas das correspondentes versões de 5 portas. Mesmo no caso da Hyundai i30 SW da anterior geração, cuja retenção de preço é de 42%, enquanto na nova geração é de 40% na versão de 5 portas.

Curiosamente, os mesmos valores indicados para o Ford Focus.

Da manutenção aos pneus, passando pelos combustíveis

Em relação à manutenção e aos pneus, o TCO DataExpertise evidencia a importância da manutenção e dos pneus no apuramento dos custos totais de utilização.

Em qualquer deles aspetos, o Peugeot 308 é aquele que surge melhor colocado e, percentualmente, a grande distância dos seus concorrentes.

E o 308 fica também abaixo da média que mede a eficiência, embora os números presentes neste estudo sejam baseados nos valores de consumo revelados por cada construtor.

Portanto, dada a escassa diferença entre os integrantes da análise, a rúbrica “Combustível” é algo que pode vir a baralhar as conclusões quando, em setembro de 2017, entrarem em vigor as novas regras de aferição e homologação de consumo.

Este TCO é feito para um período de 4 anos/120 mil quilómetros.