Opel aposta em Insignia para confrontar segmento premium

 

A Opel está a apostar no novo Insignia para fazer frente ao segmento premium, onde acha que pertence este modelo.

“Este é um topo-de-gama capaz de desafiar marcas premium”, disse na apresentação João Falcão Neves, diretor-geral da marca, que ainda disse que o segmento superior confunde marcas premium com produtos premium.

O novo Insignia traz um leque mais vasto de tecnologia, melhor prazer de condução e uma habitabilidade superior, principalmente na versão carrinha.

Mas, além destes, o importador da marca ainda destaca outros argumentos. Head-up display, uma arquitetura mais leve que consegue ir buscar 200 kg na carrinha, uma posição de condução mais baixa em 3 cm, um portão de bagageira com abertura automática a dois níveis, são outros dos argumentos com que a Opel espera convencer os clientes.

Para as empresas, o fator de atração poderá ser o preço. O Insignia apresenta-se a partir de 32.330 euros na versão carrinha (Sports Tourer 1.6 Turbo D ECOTEC Edition), mas a marca admitiu ser possível colocar viaturas abaixo do primeiro escalão de tributação autónoma (mediante condições de negociação).

Outro dado interessante, são os custos de utilização que ficam 8% abaixo da geração anterior, tornando este modelo mais competitivo. Nos consumos, conseguem-se cerca de 10% de poupança, já medidos em circuito WLTP. A nível de rendas, o importador garantiu também que conseguirá melhores valores.

Existe ainda uma versão Bussiness Edition pensada para este mercado. E essa acresce ao nível de equipamento Edition, sistema OnStar, sensores de estacionamento e luz e comutação automática de faróis, entre outros equipamentos. O preço para esta versão é de 33.130 euros.

A marca tem uma campanha de renting para esta versão com uma renda de 320 euros mensais (c/ entrada de 5.000 euros).