Mazda CX-5 2017: classe 1 só com Via Verde (com galeria de imagens)

A versão 2017 do Mazda CX-5 já está disponível em Portugal, depois de receber a homologação europeia que lhe permite ser considerado classe 1 nas portagens portuguesas.

Assim acontece porque, na renovação do popular modelo da marca japonesa, a elevação do capot do carro fez com que sejam medidos mais de 1,10 metros na vertical do eixo dianteiro, daqui resultando a nova classificação do SUV da Mazda.

Só após receber esta nova homologação europeia – peso bruto superior a 2300 kg, para permitir às versões com tração dianteira pagar portagens como veículo classe 1 quando equipado com Via Verde – o novo Mazda CX-5 é lançado em Portugal, apesar de já ser comercializado na Europa há vários meses.

Os preços agora anunciados são, por nível de equipamento:

Os motores para Portugal são exclusivamente versões de 150 e 175 cv derivadas do bloco a gasóleo SKYACTIV-D 2.2

Preços Mazda CX-5 motor 2.2 Skyactiv D 150 cv

  • Essence: 33.711 euros
  • Evolve: 36.760 a 44.146 euros
  • Excellence: 40.804 a 43.274 euros

(valores com pintura metalizada, caixa manual ou automática)

Preços Mazda CX-5 motor 2.2 Skyactiv D – 175 cv (só 4×4)

  • Excellence (caixa de velocidades manual): 46.831 a 51.152 euros
  • Excellence (transmissão automática): 48.799 a 53.119 euros

(valores com pintura metalizada)

Esta é a tabela oficial de preços para Portugal do Mazda CX-5 (setembro 2017)

O que há de novo no Mazda CX-5?

Lançado em Maio de 2012, o CX-5 foi o primeiro modelo a receber a nova geração de motores Skyactiv.

Hoje mais do que há 5 anos, a importância no mercado de modelos com as características do CX-5 aumentou, ao ponto dos planos da marca para 2017 reservar 50% das vendas globais aos modelos CX-3 e CX-5.

Alterado a nível mecânico, de interior, equipamento e com mudanças no design, acaba por ser o novo desenho da secção dianteira, nomeadamente da elevação do capot, que provocou os resultados menos desejados para Portugal: classe 2 nas portagens.

O motor escolhido para Portugal vai continuar a ser o turbodiesel SKYACTIV-D 2.2, mas a Mazda introduziu tecnologias para melhorar o seu desempenho: HighPrecision, DE Boost Control, a Natural Sound Smoother e Natural Sound Frequency Control, que aguçam a capacidade de resposta do motor, melhoraram a tranquilidade e aumentam a qualidade de condução.

A versão 2WD surge associada aos motor de 150 cv, enquanto a variante de tração integral i-ACTIV AWD dispõe exclusivamente da mecânica de 175 cv.

Ambas pode ser associadas à transmissão automática SKYACTIV DRIVE.

A novidade mais importante é a tecnologia G-Vectoring Control (GVC), o primeiro sistema da nova gama de tecnologias dinâmicas da Mazda.

Integrando o controlo do motor, transmissão e chassis como forma de reforçar a ligação entre o carro e o condutor, o GVC altera o binário do motor para otimizar a carga (ou peso) aplicada em cada roda.

O GVC analisa a posição da direção e do acelerador na abordagem de uma curva em aceleração, sendo capaz de reduzir momentaneamente a quantidade de binário enviado para as rodas dianteiras.

Desse modo, pode transferir um pouco mais de peso sobre o eixo dianteiro, aumentando o nível de aderência deste eixo para permitir que as rodas dianteiras possam virar com maior precisão.

Quando o condutor recupera a direção num ângulo constante, o GVC entrega instantaneamente o binário do motor e transfere peso para as rodas traseiras para reforçar a estabilidade do veículo.

Esta série de transferências de massas proporciona mais aderência e equilíbrio do conjunto, melhorando, desta forma, a agilidade do veículo em função do modo como está a ser conduzido.

Ao nível do chassis, foi aumentada a rigidez de torção com a incorporação de aços de alta e ultra-alta resistência, principalmente nos pilares dianteiros e central.

A suspensão beneficiou também de melhorias, nomeadamente com uma nova ancoragem da suspensão dianteira para o chassis e de amortecedores mais firmes.

Habitabilidade e novidades de equipamento

Mais leve, as dimensões exteriores permanecem praticamente inalteradas.

Por isso, a habitabilidade não sofre alterações, mas a mala, com 506 litros (incluindo sob o piso) é maior.

Não há pneu suplente e a abertura do portão traseiro passa a poder ter acionamento elétrico.

As alterações no interior incidem principalmente ao nível da consola central e da insonorização.

Em destaque o Active Driving Display, o sistema head-up display da Mazda. Há uma novidade em estreia na marca, que apresenta a informação directamente no pára-brisas e dentro da linha de visão do condutor.

Outra apresenta a informação numa lâmina, colocada acima do painel de instrumentos, em frente ao condutor.

Há também uma perceção mais imediata da qualidade dos materiais e alguns pormenores ergonómicos foram melhorados.

O sistema multimédia MZD Connect foi igualmente atualizado.

Controlado a partir de um ecrã tátil de 7 polegadas, este sistema permite a conectividade com smartphones e ainda o acesso aos principais dados do veículo, tais como o desempenho dos sistemas de regeneração da energia de travagem (i-ELOOP) e de paragem-arranque do motor (istop), para controlo dos consumos de combustível.

Pode ser associado ao novo Sistema de som BOSE® Premium surroundsound* com 10 altifalantes e processamento digital Centerpoint® 2.

Os dispositivos de segurança e de assistência à condução foram igualmente atualizados.

Há uma versão melhorada do Mazda Radar Cruise Control (MRCC) com função Stop &Go e Adaptive LED Headlights (ALH) com um leque de 12 LED

Uma nova câmara frontal de deteção reforça as tecnologias de ajuda à condução i-ACTIVSENSE com novas funções Advanced Smart City, Brake Support (Advanced SCBS) e Traffic Sign Recognition (TSR)

Entre as novas características da tecnologia i-ACTIVSENSE destaque para: Lane Keep Assist System (LAS) e Lane Departure Warning System (LDWS), Advanced Blind Spot Monitoring com Rear Cross Traffic Alert (ABSM w/RCTA) e Driver Attention Alert (DAA).