Nova estratégia global da LeasePlan: “qualquer carro em qualquer lugar e a qualquer hora”

Há um ano, em setembro de 2016, Tex Gunning era nomeado CEO da LeasePlan e lançava um plano de acção que dirigia a locadora para uma empresa de gestão centralizada, retirando parte do poder de decisão às representantes locais da gestora.

Doze meses volvidos, em entrevista aos nossos parceiros da Fleet Europe, o responsável global da LeasePlan revela uma nova estratégia que passa pela oferta de um serviço totalmente focado nas necessidades do cliente; necessidades essas que passam por oferecer qualquer carro, em qualquer lugar e a qualquer hora.

“Quando cheguei à LeasePlan, a minha primeira prioridade foi entender a indústria e revigorar a empresa. Por isso, lançamos o “Power of OneLeasePlan”, passando de uma empresa multi-local para uma empresa totalmente integrada. Esse processo está em andamento e a progredir rapidamente. É um programa que levará dois, três anos, no mínimo, para completar. Este é um processo normal nas empresas que são ‘órfãos corporativos’ há muito tempo; executa-se o programa para alcançar a excelência operacional”, começa por explicar Tex Gunning.

O CEO da Leaseplan explica desta forma a necessidade de um novo plano:

“Plataformas de mobilidade como Uber, Blablacar e Lyft estão a crescer rapidamente. Logo, não nos podemos concentrar apenas na excelência operacional, temos que olhar para o futuro. Para fazer isso, temos de nos comparar com as tendências de outras indústrias. O Spotify, por exemplo: interrompeu toda a indústria de CDs, ao entregar qualquer música, em qualquer lugar e a qualquer hora. O Airbnb diz: não precisa mais de ir para hotéis, pode obter qualquer estadia, em qualquer lugar e a qualquer hora. E a Uber: qualquer táxi, em qualquer lugar, a qualquer momento… Daí, o que se assistirá na frota e no setor de locação é que iremos em direção a qualquer carro, em qualquer lugar e a qualquer hora. Esta evolução só é possível por causa das capacidades digitais que detemos atualmente”.

Nesta entrevista, Tex Gunning fala de forma entusiasmada sobre outros desafios na área da mobilidade, derivados do fim da noção de propriedade do automóvel:

“As pessoas estão a acostumar-se a ter todo o tipo de coisas através de assinatura mensal, desde carrinhos de compras até ao pós-venda. E vão querer qualquer carro, em qualquer lugar, a qualquer hora. Por isso penso que o crescimento da nossa indústria será muito forte nos próximos cinco a dez anos. Em todos os segmentos de mercado: grandes empresas, PMEs, arrendamento privado e no mercado de plataforma de mobilidade”.

Explica ainda a importância que o mercado de usados está a representar para a actividade da Leaseplan e a forma como a gestora está a rentabilizar a necessidade de escoar esses carros:

“Há um novo mercado emergente: o mercado de carros usados de alta qualidade, com três a quatro anos de idade. Os carros de hoje são de alta qualidade, não acabam após 80 mil km, podem facilmente atingir os 200 mil quilómetros, e a crise financeira tornou as pessoas mais conscientes. A LeasePlan lida todos os anos com 300 mil carros em fim de contrato. Costumávamos entregar os nossos carros ao mercado de usados, mas a internet permitiu-nos chegar e mostrar diretamente aos consumidores o historial de cada carro. Então, iremos para o espaço B2C com a internet como nosso canal principal para conversar com os consumidores”.

E Tex Gunning diz que a LeasePlan está a fazê-lo não só para os vender como para alugá-los de novo.

Sempre de forma optimista e com bastante entusiasmo, o CEO global da maior gestora mundial de frota aborda o aumento da procura de carros híbridos e eléctricos, até porque a a LeasePlan faz parte do núcleo de fundadores da EV100.

Tex Gunning explica como, no seu entender, esse crescimento deverá processar-se em função das exigências dos novos consumidores e também da oferta de infra-estruturas de carga, bem como o modo como a empresa pode rapidamente adaptar-se a uma realidade que, tudo o indica, passa pelo desaparecimento gradual dos motores a gasóleo.