Mercado de frotas europeu vai continuar a subir

Este foi o ano em que a maior publicação sobre gestão de frotas na Europa veio para Portugal fazer o seu evento. No total, foram mais de 850 pessoas de toda a Europa que estiveram presentes no Fleet Europe Forum, no Estoril, naquele que é considerado o evento mais importante do sector. Algumas caras nacionais aproveitaram para estar no evento, que trouxe oradores para falar sobre vários temas e uma área de exposição com 43 participantes.

O evento começou com uma apresentação de Marc Odinius, da Dataforce, que vinha responder a quatro questões para abrir as restantes apresentações e painéis em discussão.  Uma delas era perceber se os SUV vinham para ficar (veja aqui o nosso trabalho sobre o mesmo tema).

As conclusões da consultora indicam que os SUV estão já a ser mais vendidos do que os carros compactos e com taxas de crescimento bem acima dos outros segmentos. Outra era saber se as frotas estavam a virar para motorizações diesel, tal como está a acontecer com os consumidores particulares. Em 10 anos, o share de diesel neste segmento desceu de 66% para 61%, com uma queda neste ano de 5,2%, ao passo eu gasolina sobe 4,1%.

Mas não são só os motores a gasolina a roubar mercado aos diesel. As motorizações alternativas estão a ter o seu momento, sendo que o crescimento de híbridos é maior do que o de elétricos. No entanto, advertiu Odinius, é preciso tomar em consideração que à medida que o mercado diesel diminui, as emissões de CO2 sobem. Este tema fez a ponte para a terceira questão que Marc Odinius trazia:  que é preciso para chegar aos 95 gCO2/km em 2021, como está preconizado pela Comissão Europeia.

A resposta não é simples e a apresentação do consultor foi marcante. Por exemplo, se o mercado tivesse a eletrificação das viaturas novas vendidas a 21%, as emissões totais de viaturas iriam ser de 112 gCO2/km na data proposta. Só com 50% de eletrificação de todas as viaturas novas se chegaria a um valor dentro do preconizado (93gCO2/km), sendo que no mercado de frotas teríamos os híbridos com 26% das viaturas novas a dominar as propulsões alternativas.

O estado do mercado de frotas foi outro dos temas. Enquanto se prevê que o mercado automóvel tenha uma retração de 0,1% em 2018, espera-se que o mercado de frotas suba em todos os países analisados (Portugal não incluído no lote).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Visited 23 times, 1 visits today)