Ricardo Lopes é, desde março de 2017, COO da Hyundai Portugal.

Cabe-lhe a condução das operações da marca coreana no nosso país, numa fase de renovação e expansão da marca.

A conversa que tivemos decorreu em redor da oferta de comerciais e das vantagens do programa “Hyundai empresas”.

É que, mês após mês, a taxa de crescimento da Hyundai em 2017 continua a ser uma das mais elevadas do mercado automóvel em Portugal.

Entre janeiro e novembro cresceu 41% face ao mesmo período de 2016, a que correspondem 3.392 unidades.

A quota de mercado não é expressiva: 1,42% em 2017, mas este ritmo de crescimento deverá permitir à marca coreana fechar o ano com um valor 50% superior ao do ano passado.

Um ponto de partida baixo – 1.584 matrículas no final de 2015 e 1.104 matrículas no final de 2014, ano em que foi anunciada a mudança de importador – uma acelerada renovação de gama e de concessões e campanhas comerciais fortes, atrativas e localizadas explicam os números do crescimento, com o regresso ao segmento dos comerciais a contribuir para esse impulso.

Como está a decorrer o regresso da Hyundai a este segmento foi o que começamos por perguntar a Ricardo Lopes.

“O regresso da Hyundai ao mercado dos comerciais tem conhecido uma evolução consistente. Demos os primeiros passos com o i20Van que hoje é, claramente, uma das propostas mais competitivas neste segmento. Conquistámos diversos negócios de frotas médias (10, 15, 20 unidades) e o feedback dos clientes é muito positivo. É uma solução muito adaptada às necessidades do negócio, com especial destaque para espaço, prestações, versatilidade e consumo. Estimamos ultrapassar, este ano, as 200 unidades neste modelo”.

No caso dos furgões H-1 e H350, o COO da Hyundai Portugal destaca o histórico do H-1 e o parque circulante que ainda existe deste modelo.

“Pretendemos cativar esses condutores com estes novos modelos. O nosso produto tem tido progressos muito significativos e conquistado clientes de diferentes áreas de negócio e diferentes necessidades, que percecionam as suas diferenciadoras vantagens competitivas”.

As expetativas, adianta, são conseguir matricular mais de 200 unidades H1 e H350 no final de 2017.

“Isto fará com que a nossa gama de comerciais apresente um crescimento exponencial, que rondará cerca de 400 unidades no seu primeiro ano completo no mercado”.

Garantia de 3 a 5 anos

Sobre os fatores que levam os clientes a optar pela oferta da Hyundai, Ricardo Lopes é perentório:

“A garantia é sem dúvida uma chancela da Hyundai. No caso do i20 VAN contamos sempre com garantia de 5 anos sem limite de quilómetros, tal como em toda a gama de passageiros, enquanto na H350 o cliente pode escolher entre os 5 anos de garantia ou 200 mil quilómetros ou então 3 anos sem limite de quilómetros, o que permite ao cliente escolher em função do que lhe é mais conveniente”.

Mas há mais.

“Uma das nossas preocupações neste segmento diz respeito ao apoio pós-venda e à capacidade da nossa rede de concessionários para responder rapidamente às solicitações. Tendo em conta esta necessidade, a assistência em viagem da Hyundai Portugal compreende a cedência de uma viatura equivalente à do cliente, uma vantagem competitiva muito valorizada neste segmento”.

Ricardo Lopes realça ainda as próprias características da oferta.

“No que diz respeito a características técnicas, o destaque vai igualmente para o facto de a nossa H350 possuir tração traseira. Esta característica é relevante no caso de transformação ou necessidade de carga mais pesada, pois não compromete o comportamento dinâmico”.

O programa Hyundai Empresas é igualmente determinante para o sucesso da gama de comerciais porque, diz o entrevistado, “dota as nossas equipas comerciais de meios para apresentar as nossas soluções e adequá-las às necessidades dos clientes.

Seja na seleção da viatura adequada às suas necessidades, seja na apresentação de soluções de financiamento/gestão da sua frota e respetivos impactos fiscais ou na assistência após venda, as nossas equipas Hyundai Empresas apoiam o cliente na gestão da sua frota nestas diferentes vertentes”.

Entre esses clientes estão alguns que permitiram à Hyundai Portugal desenvolver soluções de transformação que estão a servir também para conquistar novos clientes.

“Desde as diferentes soluções de transformação da H350 chassis cabine, passando pelas soluções de transporte de pessoas de 7 e 9 lugares, e ainda pelas ambulâncias nas suas diferentes configurações, este é um mercado com um potencial de evolução e crescimento imenso, no qual o nosso produto nos permite explorar um vasto leque de possibilidades”.

As campanhas desempenham também um papel importante na conquista de mercado.

“Temos também campanhas específicas para este segmento. Exemplo disso são as nossas propostas para o i20 VAN, que começam nos 12.562 euros mais IVA. Ou a campanha em vigor de Aluguer Operacional com Hyundai Renting, igualmente para o I20 VAN, por 285 euros mais IVA, para a versão Access, de 48 meses e 80 mil kms, com manutenção, seguro, pneus e viatura de substituição”.

Para 2018, Ricardo Lopes afirma que “tendo em conta a know-how adquirido neste ano e meio, vamos continuar a apostar na diversificação da nossa oferta. Quer ao nível das transformações e soluções, quer ao nível da diversidade de propostas de aquisição assentes em produtos financeiros adequados às necessidades e expectativas”.

Três comerciais distintos: i20, H1 e H350

Os valores de venda não são elevados: 265 unidades até ao final de novembro, grande parte das quais são modelos i20 VAN, derivados de turismo, que beneficiam do facto de serem os únicos com o motor diesel mais pequeno do mercado.

Mas a aposta nos comerciais está a ser feita também com o regresso da H1 e com a H350, concorrente direta da Renault Master ou da Mercedes-Benz Sprinter por exemplo.

Desde logo, com a vantagem de, tal como o carro alemão, ser dos poucos do género a poder contar com tração traseira.

A H1, disponibilizada em versões de 3 e 6 lugares e com motor Euro6 de 2,5 litros acrescenta a o facto de dispensar o ADBlue para cumprir o Euro6.

Motor e capacidades

Os dois furgões recorrem ao mesmo motor.

Com 136 cv no caso da H1 (binário máximo de 343 Nm entre 1.500 e as 2.250 rpm), 150 ou 170 cv na H350, neste caso acrescentando tecnologia SCR com adição de AdBlue para controlo de emissões.

Com bom rendimento e muita elasticidade, a cubicagem deste motor permite menos tensão sobre os sistemas de alimentação e pressões do turbo para a disponibilidade de binário. Como desvantagem, as taxas de CO2 elevadas: de 199 a 231 g/km, respetivamente H1 e H350 com 170 cv e chassis-cabine.

A capacidade de carga da H1 varia entre os 959 e os 1.094 kg e até 5m3, com cerca de 3,5 m3 na versão de 6 lugares. As duas portas laterais de correr permitem entrada de europaletes.

A H350 é uma estreia em Portugal.

A relevância destes carros no transporte de cargas entre centros urbanos aumentou e aquilo que este furgão até 3,5 toneladas tem para oferecer às empresas de distribuição são bons acessos à plataforma de transporte (a 69 cm do solo) e uma condução confortável, muito facilitada pelo poder de manobra. A visibilidade pode ser melhorada através da instalação de sensores e câmara de visão traseira englobada no retrovisor.

Além disso, a capacidade da H350 varia em função das duas distâncias entre eixos – 5,5 ou 6,2 metros – e das carroçarias furgão ou chassis cabine. No primeiro caso, com volumetrias de 10,5 e 12,9 m3, quatro ou cinco europaletes, sempre com uma porta lateral deslizante bastante ampla.

i20 Van transformado em Portugal

No que se refere às versões com cariz vincadamente profissional, o Hyundai i20 VAN é o modelo com mais sucesso da gama de comerciais.

Transformado em Portugal, além de alguns (limitados) benefícios fiscais, o pequeno Hyundai i20 Van anuncia como vantagens planos de manutenção alargados (2 anos/30 mil kms) e, principalmente, uma garantia de 5 anos sem limite de quilómetros.

Com grande poder de manobra, grande qualidade de construção, 587 litros de espaço de mala até à chapeleira e muito equipamento de série, o i20 Van vem equipado com motor diesel de 1,1 litros com 75 cv.