Penetração do diesel desce 17,1% no Reino Unido e mercado contrai 5,7% em 2017

A falta de confiança dos consumidores perante a perspetiva de uma recessão económica desencadeada pelo Brexit é a causa mais apontada para a redução da venda de carros novos no Reino Unido em 2017.

A desvalorização da libra é também outra razão importante para a redução da procura.

Entre os 5 principais mercados europeus – por ordem decrescente, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Espanha -, o mercado inglês foi o único a registar uma queda 5,7% em 2017, para cerca de 2,54 milhões de veículos (2.540.617 unidades).

É a maior queda desde 2009, de acordo com a Society for Motor Manufacturers and Traders (SMMT), que publicou resultados detalhados sobre as vendas.

A tabela publicada revela uma quebra de 17,1% na procura de modelos com motor a gasóleo, enquanto a venda de veículos com propulsão alternativa cresceu 34,8% e já representa 4,7% do mercado.

Mais dados do mercado automóvel do Reino Unido em 2017

A taxa de registos para empresas foi de 51,9%, uma redução de 4,5%. Ainda assim, inferior aos 5,7% de quebra geral do mercado.

A taxa de registos particulares sofreu uma quebra mais elevada: menos 6,8%

A marca automóvel mais vendida foi a Ford, apesar da queda de 9,7% face a 2016.

Seguiram-se a Volkswagen (mais 0,7%) e a Vauxhall (menos 22%).

For Fiesta, Volkswagen Golf e Ford Focus foram, por esta ordem, os três modelos mais vendiodos no Reino Unido em 2017.

Consulte AQUI o relatório referente ao mercado automóvel do Reino Unido.

(Visited 36 times, 1 visits today)