Hertz 24/7 City: o carsharing chega a Cascais

394
bty

O serviço de carsharing da Hertz 24/7 City passa a estar disponível também em Cascais, em parceria com a MobiCascais.

Depois do lançamento no concelho de Oeiras e Lisboa, visando sobretudo proporcionar uma alternativa às empresas, o carsharing da Hertz 24/7 City expande agora a sua presença aos residentes, trabalhadores e visitantes de Cascais e Estoril.

O aluguer dos veículos tem o preço de 29 cêntimos por minuto para o Renault Zoe e 33 cêntimos por minuto para BMW i3. Em Cascais, o serviço beneficia de 15% de desconto.

Os pontos de acesso e entrega das viaturas situam-se na Alameda Duquesa de Palmela, próximo da Estação de comboios de Cascais e na Avenida Marginal, em frente do Casino do Estoril.

Esta alternativa de mobilidade urbana, simples, digital e económica, passa a estar disponível com dois pontos de rede (em Cascais e no Estoril junto às estações de comboios) onde uma frota de viaturas 100% elétrica passa a estar disponível para aluguer ao minuto.

A frota de veículos vai em breve ser reforçada com mais carros e novos modelos elétricos e continuar a funcionar através de uma app criada pela Mobiag.

A Hertz tem sido participante ativa neste modelo de aluguer de viatura ao minuto e, muito recentemente, estabeleceu também um serviço similar, de aluguer de veículos comerciais, junto das lojas da cadeia Leroy Merlin.

Carsharing não concorre com rent-a-car

As soluções no Leroy Merlin e o uso elevado que as empresas têm feito do nosso serviço nos Business Center, num triângulo entre Oeiras/Lisboa e Aeroporto mostram que as utilizadores estão a encarar cada vez mais como uma solução de mobilidade”, diz António Silva, diretor geral da Hertz Portugal, destacando as vantagens do estacionamento dos carros elétricos.

A fazer 100 anos como marca, António Silva explica que a Hertz “está a aprender com este novo produto”, garantindo não existir concorrência entre a actividade do rent-a-car e o carsharing, antes uma atividade complementar ao core business da empresa.

“A viatura elétrica é mais uma alternativa para as cidades. A mobilidade elétrica do carsharing destina-se a um tipo de utente diferente do rent-a-car”, refere.

Cascais fica mais próxima para todos

“Há muitos anos que estamos a desenvolver um novo conceito de mobilidade no concelho de Cascais, que abrange não apenas quem cá vive, como quem nos visita, como as empresas que estão a operar no concelho de Cascais”, refere Rui Reis, presidente do Concelho de administração da Cascais Próxima, a empresa municipal responsável pela gestão da mobilidade e pela criação de infraestruturas e soluções destinadas a promover e facilitar essa mesma mobilidade.

“Para as empresas que cá estão é importante terem lugares para estacionar, assim como para o comércio é importante haver lugares de rotação. Essa é uma das nossas competências, assim como promover a mobilidade. Para isso foi necessário a Câmara assumir-se como uma autoridade dos transportes e é a empresa ‘Cascais Próxima’ quem age como operador interno para encontrar soluções para alguns problemas, quer através de transportes públicos – novas rotas, etc. -, quer com a criação de condições para a utilização de bicicletas, quer para o estacionamento”, concretiza Rui Reis.

“E a somar a isto tudo, os acordos com a CP, com o Carris e com o Metro. Com isto tudo acreditamos que facilitamos a vida de quem cá vive, de quem cá trabalha e de quem nos visita. O que, objectivamente, melhora a vida de todos, incluindo a vida das empresas no concelho de Cascais”.

A operar nesta fase de arranque apenas com 4 lugares, Rui Reis diz que o plano é alargar a rede e o número de viaturas em carsharing para 24 carros elétricos destinados a cobrir várias zonas do concelho.

“A nossa visão do carsharing está para além da mera visão oportunista e, por isso, introduzimos a MobiCascais como um serviço, como uma opção complementar que dá ao cidadão mais uma opção de escolha quanto à forma como se quer mover”.

Por isso, quem tem um passe MobiCascais, por mais 10 euros, passa a ter 4 horas de utilização de um automóvel, “que pode utilizar para ir às compras, para ir à praia, para levar o filho à escola…”, exemplifica este responsável.

“Isto é que é, de facto, diferenciador e fará a diferença no carsharing e na área dos carros partilhados”, assume Rui Reis, garantindo que a plataforma de mobilidade de Cascais está naturalmente completamente integrada na Área Metropolitana de Lisboa, “até porque trabalhamos em conjunto com operadores de transportes em diversos concelhos.”