O que é o GPL? E o GNV? Que vantagens para o motor das empresas?

745

I – O que é o GPL?

Atualmente há cerca de 350 postos de abastecimento GPL em Portugal.

Além de um preço por litro mais reduzido (ainda que os consumos sejam cerca de 20% superiores ao da gasolina), um nível médio de emissões por veículo mais reduzido torna interessante o uso de GPL nas frotas das empresas.

Apesar de já existirem muitos postos de combustível com terminais de abastecimento deste combustível, a desconfiança dos consumidores e, em consequência, a desvalorização dos veículos no mercado de usados tem impedido rendas competitivas em renting, quando comparado com a oferta a gasóleo.

Mesmo assim, o GPL tem-se vulgarizado em Portugal, tanto em modelos com instalação de fábrica, como em sistemas instalados à posteriori.

 

Sob determinadas condições, passou a ser permitido o estacionamento em parques subterrâneos e desobrigou a colocação do dístico GPL na traseira do veículo.

Derivado do petróleo, o GPL tem maior poder calorífero do que o GNV, pelo que não afeta tanto o rendimento da viatura.

E o facto de o seu preço depender da cotação do crude faz com que esteja mais exposto às variações de preço da matéria-prima.

II – O que é o GNV?

O GNV obriga a uma pressão de armazenamento mais elevada, cerca de 200 bar, enquanto no GPL essa pressão varia geralmente ente 95 e 110 bar.

Isso implica tanques de armazenamento GNV mais sólidos e mais pesados.

Contudo, as propriedades do GNV tornam-no menos perigoso, uma vez que, sendo mais leve, tende a dissipar-se mais rapidamente.

Ao contrário, por ser mais pesado, fugas de GPL tenderão a concentrar-se ao nível do solo.

Por isso, é permitido o parqueamento em estacionamentos fechados ou subterrâneos.

Um motor a funcionar a GNV (GNC em viaturas ligeiras, GNL mais utilizado em veículos pesados) pode ter 15 a 20% menos rendimento do que um a funcionar a GPL.

Contudo, poderá encerrar uma vantagem sobre o segundo; é que sendo um gás natural igual ao utilizado na cozinha e para aquecimento, no futuro, através de instalação certificada, o cliente particular pode vir a abastecer a sua viatura a partir da sua própria rede doméstica.

Em Portugal, há menos de 10 postos públicos de abastecimento de GNV, da Douro Gás e da Galp.

Recentemente, a Galp anunciou a construção de mais quatro postos na Península Ibérica, no âmbito de um projeto financiado pela Comissão Europeia, que visa desenvolver o mercado de gás natural para a mobilidade sustentável.

III – Além do preço que mais vantagens tem o gás?

Em teoria, a longevidade de um motor a funcionar a gás é superior à de um que funcione exclusivamente a gasolina.

A queima mais eficiente do gás gera menos depósitos no interior do motor e o desgaste dos cilindros e dos segmentos é por isso menor, além de aumentar a longevidade do óleo lubrificante.

No entanto, há uma questão importante relativa à lubrificação interna do motor: por ter uma combustão mais limpa, chamemos-lhe “seca”, isso pode causar o desgaste prematuro de algumas peças devido a um maior atrito.

Especialmente das válvulas, o que pode ser facilmente resolvido com o uso alternado da gasolina e com uma correta e atempada manutenção do motor.

IV – Benefícios fiscais para empresas

No caso do parecer da Autoridade Tributária não ser vinculativo e, por isso, ser mantida a intenção de privilegiar o uso de veículos bi-fuel, além do desagravamento do ISV em 40%, isto é aquilo com que as empresas podem contar:

1. Redução na Tributação: 7,5%, 15% e 27,5% em cada um dos três escalões, em vez de 10%, 27,5% e 35%. Agravado ao dobro em caso de prejuízo das contas;

2. Dedução de 50% do IVA pago na aquisição de viaturas até 37.500 euros.

3. Tal como o gasóleo, as empresas podem deduzir 50% do IVA do GPL/GNV

4. Dedutibilidade de gastos com depreciações até 9.375 euros/ano.

5. IUC mais reduzido