Rodolfo Florit, diretor geral da Seat Portugal: GNC é a grande aposta para 2018

571

O GNV, uma solução em que o grupo VW tem vindo a apostar, traz vantagens em relação ao GPL.

Rodolfo Florit, diretor geral da Seat Portugal explica quais e ainda porque o Leon TGI é uma solução viável:

“A SEAT será, até ao final do ano, uma das marcas com a maior gama de modelos equipados com motores – GNC. Mas as vantagens desta tecnologia vão estar sempre dependentes de uma rede de abastecimento suficientemente abrangente. O impulso recente dado pelas recomendações e normativas europeias sobre esta matéria criou finalmente as condições para iniciarmos a comercialização do primeiro modelo em Portugal, em carroçaria de cinco portas e versão carrinha ST”.

A quem se dirige este carro?

Por serem uma alternativa muito interessante para preencher a lacuna existente entre os motores tradicionais e os elétricos, por apresentarem uma estratégia sustentável e ambientalmente apelativa, são uma opção atraente tanto para clientes particulares como
para as frotas. Sejam PME ou grandes empresas.

Quais as vantagens?

Em termos de eficiência, o GNC é um combustível mais eficiente, já que requer uma menor quantidade para produzir a mesma energia. O seu custo por quilómetro é mais baixo do que qualquer outro tipo de combustível e representa uma poupança de 10% por km, comparativamente ao diesel e de 25% em relação à gasolina. Também não têm qualquer restrição de  circulação, ao contrário, por exemplo, das limitações do GPL, cujos carros não podem estacionar em parques fechados ou subterrâneos.

SEAT entrou no carsharing com a compra da respiro. A renovação da frota da startup pioneira no aluguer de automóveis à hora em Madrid, será feita com veículos SEAT com motor a GNC

Mas a questão do reabastecimento continua a ser problemática…

As questões relacionadas com o abastecimento têm vindo a evoluir gradualmente. Estamos a falar com as empresas abastecedoras de combustível para perceber qual a sua estratégia de ampliação da rede, tendo em conta as disposições europeias, que incentivam e obrigam ao desenvolvimento da rede, para que os pontos de abastecimento aumentem de forma exponencial.

Por outro lado, o automóvel está preparado para utilizar igualmente gasolina sem chumbo 95. Na impossibilidade momentânea de reabastecer com GNC e no caso de acabar este combustível, o veículo passa a alimentar-se automaticamente de gasolina. Os dois depósitos combinados garantem uma autonomia que pode chegar aos 1.300 quilómetros.

E as desconfianças em relação à segurança?

A tecnologia híbrida da SEAT é 100% segura. Os veículos equipados com GNC estão sujeitos às mesmas exigências de segurança (crash tests) dos restantes veículos. E obtêm os mesmos resultados. Os veículos SEAT equipados com GNC são atestados ao máximo da capacidade e sujeitos a um teste específco de deteção de gás.

Exigem manutenção especial? Oficinas especializadas?

Os custos de manutenção estão em linha com os valores praticados para os veículos com motores tradicionais. A principal diferença face aos restantes, prende-se com uma inspeção extraordinária ao sistema de gás que tem de ser feita ao terceiro ano e que é repetida depois de dois em dois anos. Esta operação pode ser feita em pontos da rede SEAT com serviço GNC e, relativamente às manutenções programadas, em qualquer ofcina SEAT.

Finalmente: uma campanha para este produto

A campanha Corporate, para o LEON ST 1.4 TGI 110 CV S&S, tem uma renda mensal de 349 euros, com IVA incluído, para um contrato de 48 meses e 80 mil quilómetros. A nível de equipamento, vem com pintura metalizada e pacote Style. Inclui uma mudança dos quatro pneus, manutenção Full, IUC, IPO, seguro de avarias e assistência em viagem 24 horas.

Valor deste mercado para a SEAT

A nível global, em 2017, a venda de veículos GNC cresceu 18% e passou de quase 3.400 unidades para mais de 4.000.

No mercado espanhol, a SEAT tem uma quota superior a 83% e em Itália, o principal mercado GNC da marca, encaixou quase 2.000 veículos.