A Mercedes-Benz acaba de apresentar o novo Classe A, onde as novidades passam por ter em exclusivo caixa automática e apenas um motor diesel.

Os motores

A Mercedes-Benz aparece apenas com a versão 180d para diesel, deixando mais opções para gasolina:

  • A 200 (120 kW/163 CV, 250 Nm; com caixa de velocidades de dupla embraiagem 7G-DCT, consumo de combustível em ciclo combinado de 5.1 l/100 km, emissões de CO2 em ciclo combinado de 120 g/km) ou caixa manual de seis velocidades (consumo de combustível em ciclo combinado de 5.6 l/100 km, emissões de CO2 em ciclo combinado de 133 g/km)
  • A 250 com caixa de velocidades de dupla embraiagem 7G-DCT (165 kW/224 CV, 350 Nm; consumo de combustível em ciclo combinado de 6.0 l/100 km, emissões de CO2em ciclo combinado de 141 g/km)
  • A 180 d com caixa de velocidades de dupla embraiagem 7G-DCT (85 kW/116 CV, 260 Nm; consumo de combustível em ciclo combinado de 4.1 l/100 km, emissões de CO2 em ciclo combinado de 108 g/km)

Vendas a empresas

Foi a terceira geração, em 2012, que verdadeiramente trouxe o Classe A para as empresas. Atualmente, as vendas deste modelo representam cerca de 30% do volume em Portugal e a marca reconhece que a sua importância não difere muito a nível mundial. Vendas de 620 mil unidades em todo o mundo só em 2017, no meio de três milhões de entregas em 20 anos comprovam a força do modelo. A expetativa é que o ritmo de crescimento continue, tanto para particulares como para empresas.

MBUX

O Classe A é o primeiro modelo da Mercedes-Benz a incluir o novo e mais avançado sistema multimédia MBUX – Mercedes-Benz User Experience, que também abre caminho a uma nova era nos serviços Mercedes me connect. Cockpit Panorâmico (opcional) de alta resolução com operação tátil do ecrã multimédia, ecrã de navegação com tecnologia de realidade aumentada e controlo inteligente por voz com reconhecimento de discurso natural (ativado com a palavra-código “Hey Mercedes”). Os próprios clientes empresariais podem beneficicar destes serviços, como preços atuais dos combustíveis nos postos de abastecimento ou a disponibilidade de lugares de estacionamento em parques de estacionamento.

Caixa automática

O novo modelo vai ter apenas versões de caixa automática, a 7G-TRONIC. “Acreditamos que a oferta de uma caixa automática em conjunto com alguns opcionais, como o MBUX, seja o casamento perfeito para quem procura funcionalidade e eficiência num automóvel tecnologicamente evoluído”, diz André Silveira, Relações Públicas da marca. “Consideramos por isso que nesta fase de lançamento de um modelo tão carismático e evoluído, o ideal seria acompanhar com uma caixa igualmente evoluída, proporcionando assim um maior conforto aos futuros clientes do novo Classe A”. Além disto, a marca diz ainda que a procura é cada vez maior

Gasolina ou Diesel?

André Silveira diz que a decisão de diesel ou gasolina depende do que o cliente pretende para o seu automóvel.  “É certo que o Diesel tem sido muito falado nos últimos tempos, sobre a sua continuidade e o seu futuro, mas acreditamos que a mudança será sempre gradual e levará o seu tempo. Por essa razão continuamos a oferecer soluções a gasolina, bem como a Diesel, onde acreditamos que grande parte das nossas vendas se irá manter”, diz.

Plug-in Hybrid

Para 2019, a Mercedes-Benz está a planear a introdução de um Plug-in Hybrid na gama, bem como uma versão totalmente elétrica, da marca EQ, já apresentada em modo concept com o EQA no Salão de Frankfurt de 2017.

Maior, em todos os aspetos:

  • Mais 12 cm de comprimento, 2 cm na largura e 1 cm na altura
  • Mais 9 milímetros de espaço no nível dos ombros nos bancos dianteiros e mais 22 mm na parte traseira
  • Mais 35 mm ao nível dos cotovelos dianteiros e 36 mm na parte traseira
  • Mais 7 mm de altura dos bancos da frente e mais 8 mm na parte traseira
  • Bagageira tem 370 litros, 29 litros a mais do que anteriormente