A Alphabet entrou em Portugal pelas mãos da Finlog. A Fleet Magazine falou com a sede da empresa e traz a resposta a algumas das questões mais importantes sobre esta gestora de frota:

Objectivos a médio prazo

A Alphabet não divulga objectivos qualitativos quanto à sua presença em Portugal, mas mantém a mensagem de server os seus clientes internacionais em Portugal.

 

Finlog fica com tudo

Apesar de a Alphabet ser uma das grandes gestoras europeias, o sistema de parceria que tem com a Finlog, faz com que seja esta última a não só ficar responsável por todas as questões operacionais como toda a questão financeira.

 

Como começou

A Alphabet diz que não fez qualquer sourcing de outras gestoras em Portugal, ligando-se logo à Alphabet. O facto de a considerar uma operadora “bem conhecida” no país e com capacidade de fornecer todos os serviços de aluguer operacional fez com que tenham avançado com esta gestora.

 

Modelo noutros mercados

O modelo da Alphabet para novos mercados passa pela cooperação com operadores já existentes e não tanto por aquisições. Hungria, Republica Checa, Eslováquia, Roménia e Irlanda são outros mercados nesta situação.

 

Clientes internacionais, mas…

O objectivo da gestora ao chegar a Portugal foi servir os clientes internacionais já existentes, mas obviamente tentar captar outros. Quanto a clientes locais, depende do desenvolvimento que vai ter no mercado, mas não exclui essa possibilidade.