ENSAIO: Mini Cooper S E Countryman All4 PHEV

658

O percurso da Mini no mercado de empresas tem sido feito com modelos com as características mais diversas, aproveitando o fator de atratividade que a marca desperta e a experiência de condução que os seus modelos proporcionam.

O trabalho a nível de financiamento tem ajudado e a marca tem vindo a conseguir fazer o seu caminho junto deste sector, responsável por mais de metade das suas vendas.

Faltava na gama uma opção mais amiga do ambiente e, já agora, que pudesse aproveitar os benefícios fiscais que o Estado vai disponibilizando.

E apareceu assim o Mini Cooper S E Countryman All4, o primeiro híbrido Plug-In da Mini.

Trata-se de um modelo que aproveita o motor a gasolina de 1,5 L de 136 cv e o combina com um elétrico de 88 cv que, conjugados, chegam aos 224 cv.

O carro torna-se ainda mais atraente, se considerarmos que se trata de um Mini Countryman, no fundo, a “versão SUV” que a Mini tem para apresentar.

E, ainda mais, com a configuração Cooper S.

É um mundo perfeito, mas que como todos eles, tem alguns condicionantes.

O primeiro deles tem a ver com o conforto do carro.

Embora esta versão responda a tudo o que a Mini tem para apresentar, reconhecendo-se, tal como noutros modelos, imediatamente a identidade da marca, ao fim de longos quilómetros os bancos começam a surgir rígidos demais para um carro que se preocupa em ser uma proposta mais familiar.

O outro está relacionado com o consumo.

Os Mini não gozam da fama de serem carros particularmente poupados.

Este, particularmente, apresentava um compromisso de 1,5 l/100km, a que corresponderiam 49 gCO2/km.

Obviamente, este valor responderia à colaboração do motor elétrico. No entanto, a experiência que tivemos foi que a autonomia da bateria é demasiado limitada, obrigando rapidamente este Countryman a utilizar em exclusivo o motor a gasolina.

No final, os consumos sobem para valores bem elevados, frustrando a promessa de ter aqui um conjunto quase perfeito.

Apesar de tudo, mesmo nesta configuração mais elevada, o Mini continua a manter o já lendário comportamento em curva da oferta da marca, bem como uma capacidade de retirar potência ao motor bastante satisfatória.

Este é um modelo com tudo para ser uma oferta explosiva, mas a fraca capacidade de autonomia das baterias veio relegar a sua competitividade apenas para os atuais benefícios fiscais com que pode ser adquirido.

FICHA do Veículo:

Preço:

42.607 Euros*

Rendas:

765,16 €/mês (36m)*

735,14 €/mês (48m)*

Consumos e emissões:

2,1 l/100km

49 gCO2/km*

Características motor a gasolina:

3 cilindros / 1.499cc

136 cv/4.400 rpm

220 Nm 1250-4300

Características motor  elétrico:

65 KW/165 Nm

(*) Valores LEASEPLAN. Quilometragem anual contratada: 30.000 – Serviços incluídos: aluguer/iuc/ seguro (franquia 4%)/manutenção/ gestão de frota/ pneus ilimitados/ veículo de substituição – quilometragem técnica máxima: 200.000 kms