Kia: tecnologia híbrida de 48 V para ajustar motores às emissões

510

A Kia é mais uma das marcas a aderir à tecnologia mild-hybrid de 48 V destinada a promover a redução de consumos e consequente controlo de emissões dos seus motores.

O Sportage vai ser o primeiro a dispor desta tecnologia, associada, em principio à motorização 1.7 CRDi.

Significaria isto mais potência com menores consumos, além de ganhos fiscais por via de cilindrada.

Para acrescentar eficiência a esta opção, o sistema EcoDynamics+ diesel mild-hybrid de 48V permite um padrão de condução que auxilia nas acelerações e assegura a locomoção em diversas fases da condução, permitindo rodar mais tempo com o propulsor diesel desligado.

Os ganhos na redução das emissões de CO2 são de até 4% na norma WLTP e 7% na NEDC.

Este modelo deverá chegar a partir de setembro, coincidindo com a sua renovação e com a data a partir do qual vigoram as novas regras WLTP para todos os veículos novos matriculados.

Seguir-se-à a nova geração Ceed, em 2019, sendo que a Kia planeia lançar 16 novos grupos motopropulsores até 2025, incluindo cinco novos híbridos, cinco híbridos plug-in, cinco elétricos.

E já em 2020 um novo automóvel alimentado pela tecnologia fuel-cell.

O que é o sistema EcoDynamics+ diesel mild-hybrid?

A tecnologia mild-hybrid da Kia adota um motor compacto de 0.46 kWh, uma bateria de 48-volts em iões de lítio e um novo Mild-Hybrid Starter-Generator (MHSG).

Este “coração” do sistema é controlado eletronicamente, de acordo com as necessidades da utilização: o MHSG tanto pode desempenhar funções de “motor” como de “gerador”.

Ligado por uma correia à cambota do motor diesel, o MHSG pode fornecer até 10kW de energia elétrica ao motor elétrico, o qual vai ajudar o motor diesel em situações de aceleração.

Como o motor elétrico é um emissões zero, este auxílio de potência à unidade diesel acaba por se traduzir na redução das emissões de gases de escape.

Em modo “gerador”, por outro lado, o sistema recolhe a energia cinética durante a desaceleração e a travagem, convertendo-a em energia elétrica para recarregar a bateria.

A carga da bateria pode também ser usada para ativar uma nova função, denominada Moving Stop & Start.

Trata-se de um novo conceito aplicado ao Stop & Start que já existe na maioria dos automóveis de motorização convencional: neste caso, e se a bateria tiver carga suficiente, o motor diesel desliga automaticamente em situações de desaceleração ou travagem.

O MHSG encarregar-se-á de o religar – em qualquer situação – assim que o condutor pressionar o pedal do acelerador.

A natureza compacta desta tecnologia significa que o sistema mild-hybrid EcoDynamics+ pode ser integrado de forma simples em qualquer veículo da gama já existente.

Dependendo do modelo, a bateria de 48V pode ficar alojada sob o piso da bagageira, minimizando o impacto na arquitetura e no espaço do veículo.

Por outro lado, e como o MHSG se integra diretamente com o propulsor, através da correia ligada à cambota, não existe necessidade de grandes adaptações no compartimento do motor.

O EcoDynamics+ diesel mild-hybrid é compatível com caixas manuais ou automáticas, bem como com todos os sistemas de tração (dianteira, posterior ou integral). A marca irá ainda adaptá-lo a motores a gasolina.

Jogada de antecipação

Em 2014 a Kia apresentava soluções hibridas para algumas das suas motorizações.

No salão de Genebra desse ano, a marca anunciava o recurso a baterias de chumbo/carbono que, apesar de mais pesadas, tinham a vantagem de ser uma solução mais económica em termos de custo de aquisição e de utilização, devido à maior fiabilidade.

São também uma solução menos sujeita a aquecimento (durante a utilização e carregamento), bem como à corrosão, do que as baterias de iões de lítio.