Ford Transit Connect promete reduzir até 12% os custos de combustível

34

O novo furgão Ford Transit Connect propicia redução de custos de utilização para os utilizadores de veículos comerciais, graças às novas mecânicas a gasóleo e a gasolina, apoiadas em transmissões que optimizam a economia de combustível e as emissões de CO2 até 12%.

Lançada em conjunto com a nova Transit Courier, a nova Transit Connect é parte de uma revolução de produto da Ford que renovará totalmente a gama de veículos comerciais da marca durante os próximos 18 meses.

A mais recente família de quatro modelos Transit tem obtido recordes de vendas, com 126.000 veículos vendidos durante os primeiros meses de 2018*, o melhor resultado de sempre.

Gama de motores mais eficientes

A gama de motorizações para a nova Transit Connect cumpre as exigências da mais recente norma de controlo de emissões Euro 6, calculada segundo o método WLTP.

O motor Ford diesel EcoBlue de 1,5 litros combina sofisticadas tecnologias de injecção de combustível, sobrealimentação (turbo) e controlo de emissões com uma arquitectura de baixo atrito, para obter melhor desempenho e menores consumos. Também está montado de série um sistema pós-tratamento com redução catalítica selectiva.

O motor EcoBlue de 1,5 litros é proposto em três níveis de potência:

  • 75 CV com consumos desde 4,7 l/100 km e emissões CO2 de 124 g/km;
  • 100 CV com consumos desde 4,7 l/100 km e emissões CO2 de 123 g/km;
  • 120 CV com consumos desde 5,0 l/100 km e emissões CO2 de 130 g/km CO2.**

Os dados de engenharia da Ford, baseados em ciclos de condução reais, indicam que a versão de 100 CV é até 12% mais eficiente que o modelo anterior.

Para os clientes que preferem uma opção a gasolina, a nova Transit Connect oferece uma o multi-premiado motor EcoBoost de 1,0 litros, dotado de uma nova cabeça e novos sistemas de injecção e de controlo de emissões para ser mais económico e emitir menos CO2.

O motor EcoBoost de 1,0 litros marca também a estreia da tecnologia de desactivação de cilindros na gama Transit, contribuindo para a obtenção de um consumo de 6,4 l/100 km e emissões CO2 de 146 g/km.

A tecnologia de desactivação de cilindros interrompe automaticamente a alimentação de combustível e o funcionamento das válvulas num dos cilindros, quando não é necessário utilizar a capacidade total do motor, como é caso da condução a baixo regime ou com o veículo em desaceleração.

O sistema consegue desactivar ou reactivar o cilindro em 14 milissegundos – 20 vezes mais rápido que um piscar de olhos – e, em combinação com soluções avançadas para anular as vibrações, nada disto é perceptível para o condutor em termos da operacionalidade e desempenho do motor.

Os dados de engenharia da Ford mostram melhoramentos de até 5% nas versões equipadas com o novo motor EcoBoost 1.0, em comparação com o modelo anterior.

A nova Transit Connect possui, de série, caixa manual de seis velocidades em todas as motorizações.

Transmissão automática disponível

Os clientes que preferirem caixa automática podem agora optar pela novíssima transmissão automática Ford de oito velocidades, disponível nas variantes com motores EcoBlue 1.5 de 100 e 120 CV, e que foi desenvolvida para proporcionar ainda mais poupança de combustível e melhores performances.

As suas características incluem:

• Adaptive Shift Scheduling: avalia estilos de condução individuais para optimizar os tempos das passagens de caixa. O sistema consegue identificar inclinações de subidas e descidas, bem como curvas apertadas, e ajusta as passagens de caixa em função desses parâmetros, propiciando uma experiência de condução mais estável, interactiva e requintada;

• Adaptive Shift Quality Control: avalia informações do veículo e ambientais para ajustar as pressões da embraiagem em função de uma maior suavidade nas passagens de caixa. A tecnologia consegue também ajustar a suavidade das passagens de acordo com o estilo de condução.

A capacidade que a caixa automática de oito velocidades tem para “saltar” uma velocidade ou fazer reduções directas, oferece a liberdade de escolher a mudança mais apropriada ao permitir que a transmissão “salte” uma mudança quando esta não é necessária.

As passagens mais rápidas e mais precisas são possíveis graças a uma válvula Solenóide de Acção Directa Integrada no Cárter da caixa (Casting-Integrated Direct-Acting Solenoid), enquanto que a eficiência nos consumos é reforçada pelo óleo de ultra-baixa viscosidade. A transmissão foi testada segundo os rigorosos padrões de durabilidade a que a Ford sujeita os seus veículos comerciais.

Os melhoramentos aerodinâmicos introduzidos na nova Transit Connect resultaram em reduções de atrito entre 2 e 4%, com um coeficiente aerodinâmico de 0.319, o que ajuda ainda mais na redução dos consumos de combustível.

Os melhoramentos incluem um perfil dianteiro mais aerodinâmico, novos deflectores nas rodas da frente e um novo escudo aerodinâmico.

A tecnologia Fecho da Grelha Activo – que fecha automaticamente as grelhas do radiador para reduzir o atrito, sempre que não é necessária a admissão de ar fresco para o radiador – está agora montada de série.

A poupança de combustível pode ser ainda aumentada com a utilização de duas tecnologias de assistência ao condutor:

• Ford EcoSelect: operada por um botão na consola central, permite ao condutor seleccionar um modo de condução ECO, com calibragem do motor revista;

• Ford EcoMode: concebido para assistir o condutor na adopção de uma condução mais económica, com base numa análise constante do estilo de condução e dos consumos de combustível, e enviando ao condutor a informação relevante através do ecrã no painel de instrumentos.

Versões disponíveis

A nova Transit Connect continua a oferecer aos operadores de veículos comerciais uma vastíssima gama de possibilidades, com opções de distância entre eixos curta ou longa que proporcionam volumes de carga até 3,6 m3 (VDA), capacidades de carga entre 410 kg e 900 kg, e opções de carroçaria que incluem as variantes furgão, kombi e furgão de cabina dupla.

Os intervalos de manutenção paras as versões a gasolina variam agora até dois anos/30.000 km.

Para as versões diesel com caixa manual os intervalos variam até dois anos/30.000 km, com uma inspecção obrigatória após um ano.

As versões com caixa automática têm intervalos de manutenção que variam até dois anos/ 20.000 km, com uma inspecção obrigatória após um ano.

Transit Courier actualizada

A compacta Transit Courier apresenta também a gama de motores actualizada e compatível com a norma de controlo de emissões Euro 6, calculada com base no ciclo de testes WLTP.

Os clientes podem agora optar pelo motor diesel Ford TDCi de 1,5 litros, nas versões de 75 CV ou 100 CV, e com consumos desde 4,3 l/100 km e emissões CO2 de 112g/km, ou pelo motor a gasolina EcoBoost de 1,0 litros com 100 CV, com consumos de 5,3 l/100 km e emissões CO2 de 119 g/km.

A nova caixa manual de seis velocidades da Ford substitui a anterior caixa de cinco velocidades.

Para obter o expoente máximo em termos de custos de utilização, o equipamento de série das versões diesel passa a incluir um pacote de soluções de poupança de combustível que integra aerodinâmica optimizada e tecnologia Fecho da Grelha Activo.

A nova Transit Courier oferece aos operadores urbanos de furgões uma carga máxima entre 500 kg e 590 kg, volumes de carga até 2,4 m3 (VDA), e formatos de carroçaria furgão e kombi.

A gama inclui agora, também, uma nova versão Limited em alternativa à versão topo de gama Sport.