chevrolet spark

O que dizer dos carros a gás? A tecnologia já não é nova e teve um recomeço nestes últimos anos, com o preço da gasolina a aumentar exponencialmente.

Alguns construtores têm apostado nesta propulsão, mas nenhum deles terá ido tão longe como a Chevrolet com este Spark Bi-fuel.

Já de si um carro construído para um segmento que tem muita atenção ao preço, o Spark Bi-fuel aposta numa motorização a gasolina e GPL, procurando na redução de consumos e emissões uma solução para condutores que esperam de um carro… que ele ande.

Com um botão do lado esquerdo do volante, é possível selecionar a opção a gás ou gasolina. A Chevrolet indica que em condução a gás, o carro perde um valor mínimo de prestações, mas no real, em estrada, isso não se nota. O que se nota é a diferença real entre os consumos de gás e de gasolina, sendo que os primeiros são mais acentuados, embora esta diferença se desvaneça no preço por litro de cada combustível.

Mas não é só nos consumos que o Spark vai buscar as suas vantagens. É também na qualidade de construção que, para um carro de PVP abaixo dos 10 mil euros, é bastante boa. Além disso, outra surpresa é o espaço nos lugares traseiros, bastante invulgar para um carro deste segmento. E, depois, a própria condução, com um motor bastante satisfatório, é levada a sério com um chassis irrepreensível e bastante bem equilibrado.

No final, a aliança entre o posicionamento de preço e uma tecnologia onde os consumos em euros são muito mais baixos do que seriam numa versão a gasolina fazem do Spark uma das ofertas mais competitivas do seu segmento.