conducao-autonoma-renault-nissanDiversas associações e construtores automóveis, fabricantes de componentes e empresas de telecomunicações anunciaram formalmente a criação de uma aliança cujo principal objetivo é promover a implantação generalizada de condução conectada e autónoma na Europa.

O primeiro passo concreto é um projeto que vai testar três situações reais de utilização, apesar de não terem sido divulgados detalhes da operação.

Fazem parte deste acordo a ACEA, Associação dos Construtores Europeus de Automóveis, a CLEPA, Associação Europeia de Fornecedores Automóveis, a ETNO, ECTA e GSMA, associações europeias que representam operadores de telecomunicações, a GSA, representante da mesma indústria, e ainda a Autoliv, Grupo BMW, a Bosch, a Continental, a DAF Trucks, o grupo Daimler, a Delphi, a Denso, Deutsche Telekom, Ericsson, Eurofiber, grupo Fiat Chrysler,  Ford Europa, Hella, Huawei, Hyundai Motor Europe, Iveco, Jaguar Land Rover, KPN, MAN Truck & Bus, Nokia, Grupo Opel, Orange, Play, Post Luxembourg, Proximus, Grupo PSA, Grupo Renault, Scania, Telefonica, Telenor, Toyota Motor Europe, Valeo, Vodafone, Grupo Volkswagen e Volvo Cars.

O grupo vai analisar as possibilidades de desenvolvimento e implantação de tecnologia de controlo de condução, incluindo soluções de estacionamento controlado remotamente, criação mapas de alta definição e sistemas de controlo de tráfego que melhorem a fluidez, contribuam para a redução da sinistralidade e aumentem a eficiência dos transportes com benefícios para o setor logístico.

Além do apuramento das necessidades tecnológicas, os testes que venham a ser realizados têm o propósito de lançar as bases legislativas necessárias para a implementação de sistemas e das infraestruturas necessárias para a condução autónoma.

Até agora, a iniciativa envolve os seguintes Estados-Membros: Bélgica, Holanda, Luxemburgo, França, Alemanha, Itália, Espanha, Reino Unido, Áustria, Eslováquia, Hungria e Polónia.