FCA Portugal admite a possibilidade de aumento do preço dos carros

592

O grupo FCA é o primeiro construtor automóvel a admitir, de forma oficial, o aumento de preço de alguns carros novos a partir de 1 de setembro, por efeito do aumento dos impostos.

Como é sabido, a partir de 1 de Setembro de 2018, todos os novos veículos colocados no mercado vão ser abrangidos pelo ciclo de homologação WLTP.

Deste novo procedimento de medição de consumos de combustível e emissões de CO2, resultam valores mais mais próximos da condução em condições reais, logo índices de CO2 mais elevados do que os homologados no anterior sistema NEDC, lançado em 1992.

“Apesar do desempenho dos veículos não sofrer alterações, as emissões de CO2, podem registar aumentos de 20% a 30%, à luz do novo procedimento – dada a maior fiabilidade dos novos testes e maior aproximação à utilização real dos veículos no dia-a-dia”, refere o comunicado do grupo FCA.

“Por ainda não ter havido nenhuma tomada de posição oficial pelos legisladores portugueses no sentido da alteração das tabelas do Imposto Sobre Veículos (I.S.V.), que tem por base as emissões de CO2, a FCA Portugal admite a possibilidade de um aumento do valor do PVP, consequência do agravamento do I.S.V. nas viaturas por si comercializadas”, esclarece o documento.

Nesse sentido, o construtor iniciou uma campanha comercial destinada a quem tenha intenções de adquirir um modelo Fiat, Alfa Romeo ou Jeep depois de 1 de Setembro.  Denominada COUNTDOWN IMPOSTO, esta campanha garante a manutenção dos preços do actual contexto fiscal após essa data.