A eletrificação da Mercedes-Benz: o que aí vem nos próximos meses

531

EQ é a nova marca do grupo Daimler. Elétrica e mais eficiente como pedem as novas tendências e uma cada vez maior consciência ambiental.

É a Mercedes-Benz a correr rumo à eletrificação, assinalando 2022 como o ano em que toda a sua gama automóvel poderá propor diferentes alternativas elétricas para todos os segmentos.

Os planos indicam mais de 130 variantes; desde modelos de 48 volts, essenciais para reduzir emissões nos motores térmicos, até híbridos plug-in e veículos totalmente elétricos.

Estes últimos são “EQ”, “eletricamente inteligentes”, diz o fabricante.

Vejamos então com o que poderemos contar no mais imediato.

Os primeiros são híbridos plug-in de terceira geração. Rotulam-se EQ Power e incidem essencialmente sobre as classes C, E e S.

Possuem bateria de 13,5 kWh nos veículos híbridos, emparelhada com um motor a gasolina ou, pela primeira vez, com um motor a diesel.

Associada surge a tecnologia EQ Boost. Este acionador de partida/alternador integrado ou acionado por correia, dependendo da versão do motor, é responsável por funções híbridas, como Boost ou Recuperação, enquanto permite economia de combustível, antes reservada para a tecnologia híbrida de alta tensão.

Além de reduzir o consumo e o CO2, a tecnologia aumenta o conforto e o desempenho.

Novidade é a combinação de tecnologia híbrida plug-in com uma célula de combustível no novo Mercedes-Benz GLC F-CELL (consumo combinado de hidrogénio de 0,34 kg / 100 km, emissões combinadas de CO2 de 0 g / km, consumo elétrico ponderado de 13,7 kWh / 100 km).

Depois do smart, o EQC

O primeiro “puro” EQ é o EQC. Tem consumo elétrico combinado de 22,2 kWh / 100 km. Mas as preocupações vão além da eficiência, conforto ou qualidade exigida a uma marca com os padrões da Mercedes-Benz.

Foi por isso tida especial atenção também com a segurança, não apenas a normal de uma viatura, mas também da sua condição de 100% elétrica.

Como padrão, os híbridos plug-in da Mercedes-Benz e o EQC são equipados com um carregador de bordo (OBC) refrigerado a água com uma potência de 7,4 kW, o que os torna adequados para alternância bifásica corrente (AC), para carregamento em casa e em estações públicas.

Híbridos plug-in são solução equilibrada para todas as necessidades

O lançamento no mercado dos híbridos plug-in de terceira geração é outro passo dentro da iniciativa elétrica da Mercedes-Benz.

O Mercedes-Benz C300de, em Limousine ou Station, pertencem à terceira geração de tecnologia híbrida plug-in da MB.

O consumo de combustível combinado é de 1.6 l/100 km, as emissões CO2 de 42 g/km, consumo elétrico combinado 19.1-18.7 kWh/100 km)

O C300de incorpora, pela primeira vez no Classe C, o motor a diesel OM 654 de quatro cilindros. O resultado é um veículo que pode percorrer uma distância de até 57 km (NEDC) somente com energia elétrica, com zero emissões locais.

Com transmissão híbrida de 9 velocidades 9G-TRONIC, a entrega dos primeiros modelos está prevista para meados de 2019.

O Mercedes-Benz E 300e Limousine apresenta consumo de combustível combinado 2,0 l/100 km, para emissões combinadas de CO2 de 45 g/km. O consumo elétrico combinado é de 14,5 kWh/100 km.

O MB E 300de limousine e station tem consumo de combustível combinado 1,6 l/100 km, emissões combinadas de CO2 44-41 g/ km, consumo elétrico combinado 19,7-18,7 kWh 100 km.

Uma vantagem dos híbridos plug-in Mercedes-Benz Classe E é uma alta capacidade de reboque de até 2100 kg, se necessário.

O Mercedes-Benz S 560 e apresenta consumo de combustível combinado 2,6-2,5 l/100 km, emissões combinadas de 59-57 g / km. O consumo elétrico combinado 20,2-20,0 kWh/100 km.

A eficiência da transmissão plug-in-híbrida 9G-TRONIC e uma nova bateria de iões de lítio neste limousine de luxo permitem uma autonomia totalmente elétrica de até 50 km (NEDC).

O sistema de acionamento híbrido do S 560 e combina o motor a gasolina V6 de 270 kW (367 cv) com 90 kW (122 cv) de potência EQ.

O sistema de assistência ECO Assist suporta de forma abrangente o condutor dos modelos Mercedes-Benz EQ e EQ Power, dando avisos, por exemplo, quando for apropriado desacelerar porque o veículo se aproxima do limite de velocidade.

No ECO Assist, dados de navegação, reconhecimento de sinais de trânsito e informações de radares e câmaras são vinculados e processados.

Pela primeira vez, isto envolve o equilíbrio térmico do motor de combustão e as funções de pós-tratamento dos gases de escape, como a regeneração do filtro de partículas diesel, que também é controlado de forma a minimizar o consumo e as emissões com base na distância percorrida.

Dados técnicos para os modelos híbridos plug-in:

  C 300 de E 300 e E 300 de S 560 e
Número de cilindros / disposição / tipo 4/em linha/

diesel

4/em linha/

gasolina

4/em linha/diesel 6/V/

gasolina

Cilindrada (cc) 1950 1991 1950 2996
Potência do motor de combustão (kW/hp a rpm) 143/194 a 3800 155/211 a 5500 143/194 a 3800 270/367 a 5500-6000
Binário (Nm a rpm) 400 a 1600-2800 350 a 1200-4000 400 a 1600-2800 500 a 1800-4500
Potência motor elétrico (kW) 90 90 90 90
Potência (kW/hp) 225/306 235/320 225/306 350/476
Binário (Nm) 700 700 700 700
Aceleração 0-100 km/h (s) 5.6 (5.7) 5.7 5.9 5.0
Velocidade máxima (km/h) 250 250 250 250
Velocidade máxima em modo elétrico (km/h) Até 130 Até 130 Até 130 Até 130
Consumo combinado (l/100 km) 1.6-1.4 (1.6-1.5) 2.0 1.6 2.6-2.5
Emissões de CO2 combinadas (g/km) 42-38 (42-39) 45 44-41 59-57
Capacidade total da bateria (kWh) 13.5 13.5 13.5 13.5
Consumo combinado elétrico (kWh/100 km) 18.7 (19.1) 14.5 18.7 (19.7) 20.2-20.0
Autonomia elétrica (km) Até 57 (56) 50 Até 54 (52) Até 50