Como o comércio eletrónico está a impactar nas frotas – Telemetria (III)

316

3.ª PARTE DE UM DOSSIER SOBRE E-COMMERCE VS DISTRIBUIÇÃO INCLUÍDO NA EDIÇÃO 39 DA FLEET MAGAZINE

As tecnologia de comunicação ao serviço das frotas

A telemetria associada aos transportes e à atividade da distribuição torna possível o rastreio da mercadoria entre o fabricante e o consumidor final, certificando que produtor, retalhista, empresa distribuidora e comprador conheçam a localização do bem adquirido.

Associada a ‘software’ de triagem e distribuição, a telemetria contribui para evitar erros de rota e desvios maliciosos de carga, assim como as condições em que o transporte é efetuado (climatéricas, por exemplo), com vantagens associadas de eficiência mas também de segurança.

A generalidade dos equipamentos telemáticos integra-se com facilidade nas mais variadas ferramentas logísticas e soluções ou suportes digitais, permitindo a articulação da corrente de distribuição entre empresas distintas ou, até, que uma empresa distribuidora possa subcontratar uma frota externa, gerindo e acompanhando o circuito do produto transportado.

De uma forma precisa e em tempo real, estes equipamentos podem também fornecer informações que facilitam a antecipação de algumas necessidades ou efetuar correções importantes com impacto para a eficácia das operações.

Por exemplo, ao detetar acidentes ou situações de trânsito, podem definir de imediato novas rotas para o circuito da distribuição, podem articular a transfega de carga entre viaturas do mesmo operador (especialmente quando estão em causa penalizações por falta de cumprimento dos prazos de entrega), podem ajudar a localizar o veículo em caso de roubo e permitem identificar práticas de condução.

Dados recolhidos através de sensores próprios vão permitir a deteção atempada de anomalias mecânicas, avisar para a necessidade de assistência em caso de avaria ou acidente ou permitir antecipar serviços de manutenção preditiva, algo que é fundamental numa frota de uso intensivo.

continua…

Como o comércio eletrónico está a impactar nas frotas – Sinistralidade (IV)