Trotinetes Lime chegam a Coimbra

647

Coimbra é a segunda cidade opera com 200 A 400 trotinetes

A Lime passa a disponibilizar em Coimbra entre 200 a 400 trotinetes elétricas partilhadas, em 70 hotspots definidos em conjunto com a entidade municipal.

Em Lisboa, em apenas dois meses de operação, a Lime registou mais de 53 mil utilizadores.

“Apesar de ser uma das mais antigas cidades do país, Coimbra sempre esteve muito orientada à inovação e, desde o início, mostrou muita abertura para pensarmos em conjunto na oferta desta alternativa de mobilidade”, explicou Nuno Inácio, diretor de expansão da Lime em Portugal.

Com 25% de população estudantil, Coimbra apresenta uma densidade populacional e de tráfego bastante elevada.

“Além dos seus habitantes e estudantes, que apresentam uma densidade populacional quatro vezes superior à média nacional, Coimbra recebe 500 mil visitantes por ano. Face a este cenário, sentimos que havia uma necessidade de oferecer alternativas que ajudassem a cidade a reduzir o tráfego”, acrescenta.

Para Manuel Machado, presidente da Câmara Municipal de Coimbra e presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses, as vantagens deste meio de transporte, “designadamente no plano ambiental”, justificam que se estimule a sua utilização.

Ciente de que este será um “desafio” para a cidade, Manuel Machado afirma-se confiante, mas apela a todos os utilizadores o “bom uso do espaço público” e aos moradores que “cooperem para melhor integrar este meio de transporte inovador na mobilidade suave em Coimbra”.

As trotinetes da Lime podem ser usadas por qualquer pessoa com mais de 18 anos.

Para efetuar o seu desbloqueio, e começar viagem, basta digitalizar o QR Code que se encontra em cada uma, utilizando a aplicação Lime (disponível para iOS e Android).

Para a voltar a bloquear e terminar o percurso é necessário tirar uma fotografia à trotinete corretamente estacionada e ao ambiente envolvente.

Cada viagem tem o custo de 1€ para desbloquear e 0,15€ por minuto de utilização.

O estacionamento é livre, pelo que as trotinetes podem ser estacionadas em qualquer zona da cidade, com a exceção da zona histórica, e onde não impeçam a normal circulação de trânsito e peões.

Assim, os utilizadores devem estacionar as trotinetes fora de passeios para pedestres, entradas de garagens e paragens de transportes públicos e, sempre que possível, em estacionamento de bicicletas e/ou locais definidos.