A Nissan cresceu 7% no seu ano fiscal de 2018 (de março 2017 a março 2018) e aponta objetivos muito concretos para o próximo ano, praticamente sem renovação de gama.

Uma das novidades vai ser o lançamento da wallbox em nome próprio. Disponível já em Maio, na rede de concessionários da marca, será a primeira etapa na introdução de um novo negócio, o Nissan Energy Services. Esta área de negócio vai ter ainda outros produtos para gestão eficiente de energia.

O ano fiscal de 2018 consolidou a posição de liderança do Leaf e do Qashqai, os modelos mais representativos da marca. O Leaf foi o modelo 100% elétrico mais vendido no mercado entre março dos dois anos, fazendo já 17,2% das vendas da marca. Outro dado interessante que foi passado na apresentação dos resultados, em Lisboa, é que Portugal é o 10º mercado a nível mundial no Leaf. Com isto, a Nissan tem uma média de emissões nas viaturas vendidas de 92 gCO2.

Já o Qashqai liderou o segmento C e foi o segundo modelo mais vendido de todo o mercado.

“Com 13.768 unidades vendidas no seu Ano Fiscal de 2018, a Nissan Portugal cumpriu o seu objetivo de alavancar as vendas nos canais privados e de frotas em detrimento do rent-a-car», disse Antonio Melica, diretor-geral da Nissan Portugal.

 “Esta acaba por ser uma aposta duplamente ganha, já que protegemos a nossa rede de concessionários e conseguimos ainda crescer acima do que tínhamos previsto, alcançando uma extraordinária quota de mercado de 5,2%, mais 0,2% do que o previsto no nosso plano de negócios para o Ano Fiscal de 2018».

Reforçar as vendas a frotas, através dos Business Center vai ser outro dos objetivos da marca para este ano.

No produto, a estratégia passa por mais motorizações a gasolina e elétricas, bem como introduzir o sistema ProPILOT na restante gama.

O Micra, por exemplo, recebe o motor 1.0 com 100 cv e caixa manual e o mesmo volume, mas com 117 cv e caixa automática.