ACAP e VALORCAR levam a mobilidade eléctrica sustentável para o interior da sua sede

102

valorcar acapA sede da ACAP em Lisboa passa a ter um posto com dois carregadores de 22 Kw para carregamento de veículos eléctricos, com energia fornecida por células foto-voltaicas e acumuladores para aproveitamento da energia não consumida.

Com sistema e instalação fornecido pela ZEEV, este projecto da VALORCAR e da ACAP reutiliza baterias de lítio de lítio provenientes de veículos eléctricos para o armazenamento da energia não consumida.

(foto ZEEV)

Os 62 painéis solares foto-voltaicos agora instalados na cobertura do edifício da VALORCAR, anexo à sede da ACAP (sócia maioritária da VALORCAR), tem capacidade para a produção anual de cerca de 32 MWh de energia, o equivalente ao consumo anual de 19 habitações familiares, evitando assim a emissão de 32 toneladas de CO2.

Com o objectivo de fomentar a reutilização destas baterias e prolongar a sua vida útil, a VALORCAR e a ZEEV dispõem de uma parceria para o recondicionamento e reutilização para outros fins destas baterias, como é o caso concreto de unidades estacionárias de armazenamento de energia.

A necessidade de produzir mais energia de modo sustentável e o aumento da utilização de materiais recicláveis foram alguns dos assuntos abordados na cerimónia presidida por José Mendes, Secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, que destacou esses como passos essenciais para o cumprimento do objectivo de Portugal atingir a neutralidade carbónica perspectivada para 2050.

No caminho para a redução de emissões, Hélder Pedro, secretário-geral da ACAP aproveitou a ocasião para desafiar de novo o governo para a necessidade de regressarem os incentivos ao abate em viaturas em fim de vida, para aumentar os apoios dados à aquisição de modelos eléctricos e de emissões bastante reduzidas e ainda para a possibilidade de dedução de parte do IVA da gasolina por parte das empresas, como actualmente acontece com o gasóleo.

Quando considerado 100% do carregamento da bateria do veículo com base no solar fotovoltaico, a utilização de um posto de carregamento conjuntamente com uma instalação foto-voltaica em regime de auto-consumo permite que o custo de “abastecimento” seja praticamente nulo, gerando poupanças financeiras muito significativas e uma pegada ambiental praticamente nula.

No caso concreto, estima-se que os 32 MWh de produção anual possam gerar uma poupança na ordem dos 5.200 euros, permitindo recuperar o investimento agora realizado em cerca de oito anos.

Neste documento estão todos os detalhes das várias fazes do projecto.