A Volvo é uma das marcas que tem encarado o desafio da eletrificação dos seus modelos com mais seriedade e este V60 Plug-in Hybrid é um primeiro grande passo nesse aspeto.

Em primeiro lugar, trata-se de uma aposta de motorização num dos modelos mais importantes da gama da marca sueca.

Depois, conta também com ofertas em gasolina – muito expressivas pela Europa fora – e diesel – importante no mercado nacional, o que lhe poderia trazer alguma canibalização dentro do próprio segmento.

E ainda porque é um modelo que está num segmento importantíssimo para empresas, com um poderoso domínio das marcas alemãs, no qual a Volvo tem feito todos os esforços para encontrar o seu lugar.

Com a V60, esse esforço fica um pouco mais atenuado, dado que este modelo em nada fica a dever a outros modelos concorrentes.

Estivemos com a carrinha alguns dias e a sensação final é de que é um carro já bastante consolidado, com os vectores da Volvo todos presentes – carro de família, segurança, conforto – e com pouco mais para acrescentar.

Este era o T8, a motorização mais potente no V60 para híbridos Plug-in.

Existe ainda o T6, eventualmente mais acertado para um mercado de volume, mas o nosso teste foi com o mais potente.

Os 390 cv de potência disponibilizados quase nunca são postos à prova, porque a V60 é mais uma carrinha de tranquilidade e de aproveitamento do seu conforto, design e bem-estar a bordo.

De facto, trata-se de um modelo que aproveita parte da herança de design iniciada com o XC90, modelo que marca uma viragem da atuação da marca daí para a frente.

Não só a forma como os dispositivos são organizados, mas também a simplicidade no design e a ergonomia dos materiais fazem desta V60 uma carrinha onde os ocupantes se sentem bem e seguros.

A tecnologia de propulsão híbrida com carregamento funciona muito bem e, com cargas da bateria a 100%, conseguem-se fazer facilmente trajetos com algumas dezenas de  quilómetros, fazendo com que os consumos de gasolina na V60 sejam residuais.

Aconselha-se vivamente a utilização dos modos de gestão do sistema, já que estes ajudam – e muito – a uma condução mais ajustada em termos do que é necessário.

No final, uma palavra de atenção para os consumos de gasolina que se podem esperar da utilização de apenas o motor a gasolina.

É que 303 cv têm que aparecer de algum lado e um quatro cilindros de dois litros tem que os tirar a partir de algum esforço. De resto, uma carrinha praticamente sem defeitos para apontar.

Impressões

A V60 T8 da Volvo parece conseguir a quadratura do círculo e ter quase nota máxima em todos os aspetos.

Desde já, o motor e o sistema híbrido que funcionam na perfeição. Depois o design, que respondendo à linhagem atual da Volvo, não se torna demasiado agressivo nem demasiado conservador, mas antes moderno e claramente virado para consumidores modernos e jovens.

Depois, a habitabilidade. Embora não se trate de um grande portento de espaço nos lugares traseiros (quantos o são neste segmento?), é claramente suficiente e, na bagageira, mesmo descontando o espaço que se tem que encontrar para o sistema híbrido, é manifestamente volumétrico.


Ficha de Produto: Preço, rendas, consumo e motor

  • Preço:

63.995 Euros*

  • Rendas:

1.118,18 €/mês (36m)*

1.047,58 €/mês (48m)*

 

  • Consumo médio e emissões:

2,1-2,5 l / 100Km / 45 gCO2/km*

  • Dados do Motor:

4 / 1.969 cc

303+87 / ???? cv/rpm

400+240 / ???? Nm/rpm

(*) Valores LEASEPLAN. Quilometragem anual contratada: 30.000 – Serviços incluídos: aluguer/iuc/ seguro (franquia 4%)/manutenção/ gestão de frota/ pneus ilimitados/ veículo de substituição – quilometragem técnica máxima: 200.000 kms