Quando, na sequência da crise de 2008, a GE decidiu abdicar da sua atividade de gestão de frota, várias pessoas passaram a trabalhar noutras empresas que se encontram no sector de financiamento e serviços automóvel.

Rui Pinto e Luís Frazão decidiram avançar por conta própria e criar a Boxer, uma empresa de gestão de frotas.

“Iniciámos a nossa atividade em 2009, exatamente no início da crise que viria a ter o seu auge em 2011”, explica Rui Pinto, diretor-geral da empresa.

“Nascemos, portanto, com o foco na redução dos custos com a frota: redução da frota, diminuição do nível das viaturas atribuídas, aumento da vida útil das viaturas ou o cancelamento antecipado de contratos”.

O arranque ficou facilitado pelo sucesso na negociação da carteira de contratos de manutenção e extensões de garantia da Masterlease, que geria, na altura, os contratos de renting da GM.

Neste momento, a Boxer está totalmente focada na gestão de frotas, sejam elas geridas diretamente ou em outsourcing para outros operadores, como o caso da Europcar. E vê um mercado bem diferente do que há 10 anos atrás.

“Hoje, não deixando de haver uma saudável preocupação com os custos, sentimos as empresas mais abertas a pensarem em outros fatores na gestão da sua frota: a opção por outsourcing, a discussão do tipo de aquisição, a política ecológica, o car sharing e os combustíveis alternativos, a preocupação com a comunicação com os seus condutores ou a otimização da sua rede de fornecedores”.

Operacional da Europcar

A Boxer conta já com mais de 2100 viaturas em carteira e é responsável da gestão operacional da atividade de renting da Europcar, que iniciou há cerca de um ano (ver FLEET MAGAZINE 38).

Quanto a clientes, depois de um pico em 2014, estabilizou nos 120 atuais. Entre eles, empresas em diversos setores de atividade, como financeiras, seguros, importadores de automóveis, empresas de tecnologia, farmacêutica e outras.

De todas as áreas que constituem a gestão de frotas, a única em que não participam é o financiamento automóvel. De resto, desde a negociação para esse financiamento, seja em renting ou noutra qualquer opção, a Boxer está hoje preparada para avançar.

De facto, a sua carteira é constituída principalmente pela gestão de frota completa, sendo que os contratos sem risco ocupam a segunda fatia. A gestão integral e as garantias fazem o grosso dos outros serviços.

Dado que o foco agora é a gestão de frotas, a Boxer tem várias ferramentas de gestão, como a ActiveRent, a Fast, o Portal de Condutores e a 1Link. O condutor tem um portal onde consegue aceder às informações básicas relacionadas coma sua viatura e acesso a uma linha de apoio ao condutor.

Já o gestor de frota pode aceder à plataforma Fast, que lhe dá acesso à informação de gestão de frota tradicional ou ao 1Link para fazer autorizações com as oficinas e outros operadores.

Apostou igualmente numa página de internet da ultima geração , com focus em mobile first.

Logística e recondicionamentos

A empresa faz ainda logística de viaturas, quer para marcas e concessionários ou empresas. Tendo igualmente disponível o serviço de parqueamento de viaturas novas ou usadas e o agendamento de entregas.

No momento de final de contrato, pode fazer o transporte de viaturas a casa do cliente, a explicação da viatura e de toda a documentação e mesmo a recolha da viatura usada, com o envio da documentação.

Outro serviço é o dos sinistros e recondicionamentos. A Boxer pode tomar conta do recondicionamento e preparação para a troca de condutores, bem como a terminação dos contratos de renting ou a gestão dos sinistros, com valores de reparação abaixo da franquia.

No recondicionamento em concreto, é feita a realização de uma pré-vistoria nos parques da gestora de frota e feito um orçamento próprio com base no relatório enviado pela gestora. O cliente terá que aprovar.

Depois da reparação, a viatura é entregue no parque da gestora de frota.

O futuro da Boxer passará por três caminhos diferentes. Um deles será o fornecimento de soluções tecnológicas para a gestão de frota, tanto para o gestor da frota como para os condutores.

Outro, fornecer uma metodologia para analisar e reduzir a “pegada ambiental” da frota. O terceiro vetor é a análise da mobilidade, procurando as melhores soluções (em termos de aquisição, combustível, partilha, etc) com base na tipologia de cada frota.

Os 3 marcos mais importantes da Boxer

  • 2009: aquisição da carteira de Contratos de Manutenção e Extensões de Garantia da Masterlease (ex-renting da GM)
  • 2015: início de parceria international com a Traxall
  • 2018: parceria com a Europcar para a gestão dos contratos de renting (nova unidade de negócio)

A gestão de frota em 9 áreas de intervenção

  • Reformulação contratual;
  • Seguros
  • Pneus
  • Viatura de substituição
  • Cartão de combustível
  • Contrato de renting
  • Legislação fiscal
  • Emissões de CO2
  • Gestão de marcas e de rentings elegíveis