Dificuldades de stock por atraso das fábricas, problemas de financiamento dos clientes particulares e a indecisão de muitos consumidores quanto ao tipo de veículo a adquirir estão a provocar uma descida generalizada das vendas automóveis ao nível europeu.

Portugal não é excepção e a queda de 5,8% do número de matrículas de ligeiros em julho de 2019 contribuiu para acentuar a descida dos últimos meses, traduzida por uma redução de 4,9% no segmento dos ligeiros de passageiros e de 0,3% nos ligeiros de mercadorias.

Em termos globais, esta é a visão geral do mercado nos primeiros sete meses de 2019:

Origem: IMT (2018) e AT (2019). Fonte: ACAP

Análise

Uma avaliação mais cuidada permite perceber uma queda bastante acentuada da marca líder de vendas em Portugal.

A Renault perdeu em julho quase 19% face a 2018, quase 500 unidades num mês e, no global de ligeiros, perdeu 8% de quota de mercado nos primeiros sete meses de 2019.

A Opel perdeu 45% de matrículas de ligeiros em julho, em parte devido à necessidade de novos Corsa e Astra, disponíveis na segunda metade do ano. Em contrapartida sobe 102% nos ligeiros de mercadorias, impulsionada pela nova Opel Combo.

Nos ligeiros de passageiros, a Volkswagen recupera quase 15% em Julho, contrariando a descida de 20,9% verificada este ano. Foi a 5.ª marca com mais matrículas neste mês.

Ainda em Julho, descidas muito acentuadas da Nissan e da Kia nos ligeiros de passageiros: 27,9% e 25,1%, respectivamente.

Nos ligeiros de mercadorias, apesar de uma ligeira queda (-1,4%) registada em julho, a Peugeot continua mais forte do que a Citroen. A Renault conserva a liderança deste segmento, com mais 876 unidades do que a segunda colocada, a Peugeot.

Juntas, estas três marcas valem 18,7% deste segmento. Há um ano valiam 16,3%.

Um pormenor curioso é verificar que, juntas, Peugeot, Citroen e Opel valiam, há um ano, 37,5% do mercado de comerciais ligeiros. A mesma contabilidade representa actualmente 36,8%, uma descida de 0,7%, superior aos 0,3% da globalidade do mercado. Um dos motivos pode ser a quebra de 20% da Citroen desde o início do ano. A Citroen matriculou menos 724 VCL, Peugeot e Opel conquistaram apenas mais 532 unidades comparativamente há um ano. Daqui resulta um saldo negativo de 192 unidades.

Top 10 das marcas, matriculas de Junho, ligeiros de passageiros (número de unidades):

  1. Renault – 2106
  2. Peugeot – 1821
  3. Mercedes-Benz – 1508
  4. Fiat – 1402
  5. Volkswagen – 1222
  6. Seat – 1098
  7. Citroën – 998
  8. BMW – 974
  9. Nissan – 909
  10. Toyota – 728

Top 10 das marcas, valor acumulado, ligeiros de passageiros (número de unidades):

  1. Renault – 20200
  2. Peugeot – 15517
  3. Fiat – 10164
  4. Mercedes-Benz – 10161
  5. Citroën – 9859
  6. BMW – 8572
  7. Opel – 7859
  8. Seat – 7347
  9. Volkswagen – 6751
  10. Nissan – 6727

Top 10 das marcas, matriculas de Junho, comerciais ligeiros (número de unidades):

  1. Renault – 635
  2. Peugeot – 530
  3. Citroën – 507
  4. Fiat – 309
  5. Opel – 305
  6. Ford – 150
  7. Iveco – 115
  8. Mercedes-Benz – 113
  9. Toyota – 87
  10. Mitsubishi – 83

Top 10 das marcas, valor acumulado, ligeiros de mercadorias (número de unidades):

  1. Renault – 5016
  2. Peugeot – 4137
  3. Citroën – 2891
  4. Fiat – 2172
  5. Ford – 1294
  6. Opel – 1125
  7. Mercedes-Benz – 1083
  8. Toyota – 786
  9. Mitsubishi – 713
  10. Iveco – 698

Neste ficheiro estão as tabelas completas com o número de matriculas de automóveis em Portugal em Julho de 2019 (Fonte ACAP)

Gasolina volta a superar vendas de gasóleo

A distribuição das matrículas de ligeiros de passageiros por tipo de motor mostra que os carros a gasolina mantiveram a supremacia das vendas.

Assim, em julho registaram-se 9.085 unidades ligeiras de passageiros com motor a gasolina, contra 7.494 VLP a gasóleo.

No segmento dos ligeiros de passageiros, destaque ainda para as 436 unidades 100% eléctricas, que representaram 2,4% do total de matrículas e para os 714 veículos híbridos, que representam a terceira força motriz do segmento (3,9%).

Nos comerciais ligeiros continuam a ser dominantes as unidades com motor a gasóleo, com os carros eléctricos a superarem largamente as (poucas) viaturas matriculadas com propulsor a gasolina ou soluções híbridas GPL/GNC.

No que toca a valores acumulados, já se registaram:

  • 74.918 VLP com motor a gasolina (50,9%)
  • 58.341 VLP com motor a gasóleo (39,7%)
  • 4.341 VLP eléctricos (3%)
  • 2.454 VLP híbridos plug-in (1,7%)
  • 5.373 VLP híbridos eléctricos (3,7%)
  • 21.993 VCL com motor a gasóleo (99,3%)
  • 111 VCL 100% eléctricos (0,5%)
  • 36 VCL com motor a gasolina (0,2%)

Veja nesta página as tabelas completas com a distribuição por tipo de motor das viaturas matriculadas em Portugal em e até Julho de 2019 (Fonte ACAP)