Por Manuel Bóia, Vogal da Administração da ADENE, Agência para a Energia

 
A mobilidade é um fator essencial para o desenvolvimento das sociedades e economias modernas: diariamente, organizações e indivíduos dependem da rápida movimentação de pessoas, bens e produtos entre diferentes locais e regiões, dentro e fora do país.

O setor dos transportes é um dos mais impactantes no ambiente e na qualidade de vida das populações. Em Portugal, é responsável por 37% do consumo total de energia final e está na origem de 25% das emissões de CO2. A transição energética e a descarbonização do sector dos transportes é, por isso, um dos objetivos do Plano Nacional de Energia e Clima (PNEC), onde constam as metas de aumentar o contributo das energias renováveis de 7,5% em 2016 para 20% em 2030 e de reduzir as emissões em 40%, em grande parte por via do reforço da mobilidade elétrica.

As empresas (e organizações), públicas e privadas, podem dar o exemplo nesta transição, ao optarem por uma mobilidade mais eficiente e sustentável na sua atividade.

É nesse sentido que a ADENE – Agência para a Energia vem disponibilizando às empresas instrumentos baseados em modelos de etiquetagem da mobilidade eficiente, como o Sistema de Etiquetagem Energética de Frotas.

Atualmente em reformulação, para (re)lançamento em 2020, o novo modelo de etiquetagem energética de frotas irá classificar, numa escala de A+ (mais eficiente) a F (menos eficiente), o desempenho energético e ambiental das práticas adotadas para a gestão da mobilidade, orientando as empresas no sentido da ecoeficiência.

Com este instrumento, as empresas podem:

  • Classificar, comparar e melhorar a eficiência energética e ambiental da sua frota;
  • Identificar oportunidades de redução de custos (combustível, etc.) e emissões de CO2 através da gestão mais eficiente da frota;
  • Demonstrar, de forma simples e clara, o seu empenho em reduzir a pegada ecológica da frota e adotar soluções mais limpas para o transporte de pessoas e bens;
  • Motivar e influenciar colaboradores, clientes, fornecedores e parceiros para uma mobilidade mais sustentável e amiga do ambiente.

Ao adotar o novo modelo de etiquetagem da mobilidade eficiente de frotas, as empresas estarão a liderar a transição para um futuro mais verde e sustentável, ao mesmo tempo que promovem um uso eficiente e a poupança de recursos, com todos os benefícios financeiros daí resultantes. Um desafio em que todos ganham!