Carro do Ano 2016 e um dos modelos mais emblemáticos da Opel, o Astra actual recebeu uma renovação a meio do ciclo, importante para a marca poder respeitar o desafio das emissões que chega em 2020.

Partindo da geração nascida ainda no seio da GM – actualmente a Opel pertence ao grupo PSA –, a renovação incidiu essencialmente sobre tudo aquilo que permitisse aumentar a eficiência do modelo, leia-se, possibilitasse reduzir emissões.

O resultado, numa gama muito simplificada para não complicar a contabilidade final do CO2, são emissões entre 115 e 122 g/km para o motor 1.5 T de 122 cv (consumo homologado a partir de 4,4 litros), e de 119 a 125 g/km para o 1.2 Turbo a gasolina de 130 cv (WLTP).

Existe ainda um segundo motor Turbo 1.4 que recebe uma caixa CVT de 7 velocidades. Já o motor a gasóleo pode receber uma nova transmissão de 9 velocidades.

O importador assegura que os motores montados foram desenvolvidos pela Opel ainda no seio da GM e não são de base PSA (apesar da quase coincidência das cilindradas), justificado o não recurso aos motores franceses pelo facto de essa alteração implicar outras a nível electrónico e de cablagem, por exemplo.

As alterações no Astra visam manter a marca competitiva, o que justifica a expressão empregue por José Barata, Brand Manager da Opel Portugal, de que estavam “de regresso ao jogo” com o novíssimo Corsa e o renovado Astra, já que, juntos, podem competir num campeonato que vale 60% das vendas em Portugal.

Mercado esse que deve metade do seu valor ao interesse das empresas, descontando já o volume habitual destinado à actividade de rent-a-car.

A Opel Portugal acredita também que as compras profissionais devem continuar a optar pelo motor a gasóleo, até porque as duas propostas de carroçaria – 5 portas e carrinha – apresentam valores negociáveis dentro do escalão mais baixo da Tributação Autónoma.

Com contas TCO favoráveis como as apresentadas pelo importador, os residuais expectáveis fundamentam rendas Free2Move Lease a partir de 379,50 euros (48 meses/80 mil kms) para a carrinha Astra com este motor em Business Edition.

Oferta e preço Opel Astra em Portugal

A gama foi simplificada para permitir um melhor controlo do volume total de emissões da marca e passa a distribuir-se por três níveis de equipamento:

  • Business Edition;
  • GS Line;
  • Ultimate.

O equipamento de série de todas as versões inclui:

  • Sensores de luz e de chuva
  • Quatro vidros elétricos
  • Fecho centralizado
  • Ar condicionado
  • Rádio IntelliLink Multimedia compatível com Apple CarPlay e Android Auto
  • Programador de velocidade com limitador;
  • Sensores de estacionamento;
  • Espelhos retrovisores exteriores com regulação elétrica e aquecimento
  • Jantes em liga leve

O topo de gama Ultimate acrescenta de série;

  • Faróis IntelliLux de matriz de LED;
  • Bancos ergonómicos forrados a alcântara;
  • Painel de instrumentos digital;
  • Fecho centralizado de portas sem chave;
  • Sistemas de assistência à condução, como a manutenção de faixa com correção automática até ao alerta de colisão dianteira iminente com deteção de peões e travagem automática de emergência.

O que é que a Opel fez para manter o Astra em campo?

Grama a grama, sempre com o foco apontado à redução de consumo e emissões, as alterações operadas no Astra são fundamentais para a marca poder continuar a vender sem ficar sujeita a pesadas multas por não respeitar os limites de emissões impostos pelas autoridades europeias.

Assim, para obter reduções de emissões de CO2 até 21% face ao modelo anterior, o novo Astra dispõe:

  • Linha completamente nova de motores de três cilindros, com bloco e cabeça em alumínio, equipados com tecnologia de redução de emissões, nomeadamente filtro de partículas de gasolina (GPF) e catalisador de redução seletiva SCR no diesel;
  • Novas afinações de chassis, novos amortecedores e eixo traseiro que permitiram uma leve redução da distância ao solo;
  • Melhorias aerodinâmicas para atingir um coeficiente de 0.26 Cd;
  • Grelha ativa cujas lâminas abrem ou fecham para acelerar ou manter a temperatura do motor, para evitar desperdício de energia térmica e assim beneficiar o consumo.

Cortina ativa na grelha dianteira

A cortina integral ativa, colocada atrás das grelhas dianteiras, consegue vedar automaticamente a entrada de ar no compartimento do motor, tanto na grelha superior como na inferior, de forma independente.

Partindo do princípio de que uma diminuição de 10% na resistência ao ar traduz-se diretamente numa redução de cerca de 2% nos valores de consumo NEDC, ou até 5% quando o automóvel circula a 130 km/h, o efeito da cortina da grelha, por si só, baixa as emissões de CO2 do novo Astra em 2 g/km.

Além do desempenho aerodinâmico, a cortina integral traz benefícios do ponto de vista de controlo térmico, permitindo atrasar o arrefecimento do motor depois de este ser desligado, ou acelerar o aquecimento após um arranque a frio – importante no inverno, com reflexos positivos no consumo de combustível, no controlo das emissões e na capacidade de aquecimento do habitáculo.

Mas as melhorias no comportamento do fluxo de ar sob o automóvel obtiveram-se também com a instalação de carenagem sob o compartimento do motor, um novo painel isolador do depósito de combustível que funciona também como defletor de ar, altura ao solo reduzida em 10 mm – dependendo da versão – e braços da suspensão traseira com formato aerodinâmico.

No total, a otimização aerodinâmica do renovado Astra faz baixar a emissão de CO2 em 4,5 g/km no ciclo NEDC.