A nova função de Informação de Perigo na Via (IPV) avisa os condutores com antecedência acerca dos potenciais perigos que possam surgir. Trata-se de uma solução que estabelece o caminho para uma infraestrutura de transportes conectados, diz a Ford, que disponibiliza uma nova tecnologia de conectividade automóvel que permite aos condutores saberem de antemão o que vão encontrar após uma curva cega.

Situações como filas de carros repentinas, acidentes ou derramamento de cargas podem, graças a esta solução, ser avisadas previamente. Situações “naturais”, como tempestades de granizo, inundações ou deslizamento de terras podem também ser considerados por este sistema.

O sistema pode, perante estes cenários:

  • Ativar os airbags
  • Fazer piscar as luzes de aviso de perigo
  • Ativar os limpa pára-brisas

A função de IPV opera autonomamente, contrariamente aos anteriores sistemas de alerta de acidentes, que dependiam do input de dados por parte dos condutores para que os alertas fossem gerados. A função de IPV não precisa do condutor para gerar informações ou emitir avisos, diz a Ford.

Trata-se de uma função que está a ser integrada em mais de 80% da gama de ligeiros de passageiros Ford, e vem de série no novo Ford Puma.

Como funciona a função IPV?

Os sensores presentes no veículo captam e monitorizam todas as ações, incluindo a travagem de emergência, luzes de nevoeiro e controlo de tração para assim detetarem condições climatéricas adversas ou problemas na via de circulação. Esses mesmos dados, recolhidos pelos sensores do veículo, são analisados e determinam a localização do perigo ou se há uma ocorrência no trânsito.

Através do modem FordPass Connect, o veículo envia atualizações, de forma automática, para a cloud. A HERE Technologies (parceira da Ford que opera a plataforma central baseada na cloud) reúne essas mesmas atualizações vindas não só da Ford mas das outras marcas de veículos. Isto resulta numa maior conectividade por parte de diversos veículos que estão a circular. Quantos mais automóveis conectados com a rede, maior será a eficiência do sistema.

Assim, todos os veículos conectados que gerarem um aviso permitem aos restantes utilizadores receberem informação das situações, através da rede de telemóvel, e com isso reduzirem a velocidade ou adotarem uma postura de condução (ainda mais) defensiva.

O que diferencia a função de Informação de Perigo na Via é o facto de serem os veículos a estar conectados – através da Internet das Coisas, não tendo de depender de aplicativos de terceiros. Trata-se de um avanço significativo. Os avisos são específicos, relevantes e adequados, tentando-se ajudar a melhorar a especificidade de uma determinada deslocação”, diz Joerg Beyer, director executivo de Engenharia da Ford Europe.