A ACEA – Associação Europeia dos Construtores Automóveis prevê que, em 2020, as matrículas de ligeiros de passageiros recuem cerca de 25% no território europeu.

À luz da atual crise económica que atinge o sector automóvel, em virtude da pandemia do novo Coronavírus (COVID-19), a associação acredita que este ano serão matriculadas cerca de menos três milhões de unidades face a 2019.

Entre meados de março e maio, o mercado automóvel europeu contraiu, em média, mais de 40%. E embora a associação espere que este número venha a diminuir, devido principalmente ao alívio das medidas de desconfinamento que muitos países europeus começam a adotar, a previsão para 2020 representa o menor número de carros matriculados na Europa desde 2013.

Em abril, o mercado de ligeiros de passageiros caiu mais de 75% na Europa.

Eric-Mark Huitema, diretor-geral da ACEA, espera que este cenário “dramático” seja mitigado por medidas a adotar pela União Europeia e pelos governos locais.

Dado o colapso nas vendas (sem precedentes) verificado até à data, os incentivos à compra e ao abate são necessários em toda a Europa de forma a criar “a tão necessária procura por automóveis novos”, conclui o responsável.