A atividade desenvolvida pelo grupo ISQ requer uma frota com mais de meio milhar de viaturas a circular de Norte a Sul do país, 140 das quais afectas ao serviço da Direção de Soluções Integradas de Engenharia do ISQ. Enquanto responsável pela sua gestão operacional, Hélder Albuquerque fala dos desafio causados pelo Covid-19:

Operacionalidade de Frota:

Na direção de Serviços Integrados de Engenharia do grupo ISQ, funcionamos essencialmente  num sistema de partilha de viaturas. No entanto face à situação que atravessamos, temos reduzido ao máximo essa partilha de forma para minimizar o risco de contágio.

Como nem sempre é possível que isso aconteça, estabelecemos protocolos com as empresas parceiras que fazem a lavagem das nossas viaturas para fazerem a desinfestação sempre que recebemos uma viatura. Assim garantimos que as viaturas são sempre desinfetadas antes de serem entregues a outro colaborador.

No caso das viaturas afetas a colaboradores do grupo ISQ, estamos a fazer algumas trocas de forma a não exceder os km contratados. Esta altura facilita em muito a troca de viaturas, não só pela disponibilidade das equipas, mas também porque a grande maioria destas viaturas necessita de autorizações de entrada nas instalações dos nossos clientes. Posto isto este período dá-nos tempo para coordenar essas trocas sem prejuízo para o colaborador. Aproveitamos ainda o atual momento para mudar a caracterização de algumas viaturas, pequenas reparações (sinistros pendentes).

Constrangimentos à circulação:

No que diz respeito à circulação das nossas equipas, até a data não tivemos qualquer tipo de constrangimento. Tenho conhecimento de casos de equipas que foram abordadas pela autoridades, mas como se faziam acompanhar de uma declaração de deslocação foram autorizados a continuar a viagem. Todos os nossos colaboradores fazem-se acompanhar de uma declaração de deslocação.

Frota ISQ: eletrificação gera incógnitas na negociação e incertezas nos custos (I)