Os termos do acordo de compromisso de fusão 50:50 celebrado entre o Grupo FCA e o Grupo PSA foram alterados.

Os dois grupos, que recentemente anunciaram uma fusão que, segundo expectativas, daria origem ao quarto maior construtor automóvel mundial em volume de produção, concordaram com alterações que levam em linha de conta o impacto da crise pandémica do novo Coronavírus (COVID-19) na liquidez da indústria automóvel, ao mesmo tempo que pretendem manter o valor económico e os equilíbrios contidos no acordo inicial.

Aprovadas por unanimidade pelos Conselhos de ambos os grupos, as alterações consistem em:

  • O dividendo excecional a ser distribuído pela FCA aos seus acionistas antes da assinatura final é fixado em 2,9 mil milhões de euros (anteriormente 5,5 mil milhões de euros)
  • Os 46% de ações detidas pelo Grupo PSA na Faurecia serão distribuídos por todos os acionistas da Stellantis imediatamente após a assinatura final e aprovação pelo Conselho de Administração da Stellantis e seus acionistas

Os respetivos acionistas irão receber o equivalente a 23% do capital da Faurecia (capitalização de 5,867 mil milhões de euros no fecho do mercado), enquanto a sua participação de 50:50 na Stellantis permanecerá inalterada.

AFIA e associações europeias apelam à criação de um Acordo de Comércio Livre entre a UE e o Reino Unido no pós-Brexit

Foi também acordado que os Conselhos de ambos os grupos podem considerar uma distribuição de 500 milhões de euros pelos acionistas de cada empresa antes da assinatura final ou, em alternativa, uma distribuição de mil milhões de euros a todos os acionistas da Stellantis, após a assinatura final. Tratam-se de decisões que, dizem os grupos em comunicado, serão tomadas à luz da performance e das perspetivas de ambas as empresas, bem como das condições de mercado.

Os restantes termos económicos do acordo de fusão permanecem inalterados, garantem a FCA e a PSA. A implementação da fusão deve acontecer até final do primeiro trimestre de 2021.

acordo fca psa

Carlos Tavares, presidente do Conselho de Administração do Groupe PSA, aproveitou para agradecer às esquipas que construíram as “relações de confiança recíprocas, inclusivamente durante o período de confinamento devido à COVID-19”.

Também Mike Manley, CEO do FCA Group, agradeceu ao empenho das equipas que trabalham para o lançamento da Stellantis. “O anúncio de hoje é mais um forte sinal da nossa determinação comum em garantir que a Stellantis possui os recursos necessários para implementar os seus trunfos únicos, a sua energia criativa e as numerosas oportunidades de criação valor para todos os nossos acionistas”, disse Manley.