As associações automóveis luso-espanholas ACAP, AFIA, ANFAC e SERNAUTO assinaram uma declaração conjunta no sentido de pedir aos governos ibéricos a criação de uma estratégia que garanta a viabilidade sustentável da indústria automóvel na sua transformação para uma mobilidade sustentável.

Esta declaração visa também destacar o valor do sector automóvel como instrumento estratégico dos mercados espanhol e português no sentido de ser alcançada a recuperação económica dos dois países.

Produção nacional de ligeiros de passageiros aumentou 10,9% em agosto. Comerciais registam variação positiva de 4,9%

Da estratégia pedida pelas associações automóveis, destaque para o estabelecimento de bases para a construção de um plano de ação que dê resposta a:

  • Transição para a mobilidade de emissões zero através de incentivos financeiros e não financeiros
  • Renovação do parque circulante com a criação de um Plano de Incentivos ao Abate (já anteriormente reivindicado pela ACAP)
  • Desenvolvimento de uma infraestrutura de carregamento elétrico
  • Apoio ao desenvolvimento
  • Implementação de condução autónoma e conectada
  • Roteiro coerente para o desenvolvimento de futuras normas de emissões de CO2
  • Quadro regulamentar homogéneo para o transporte de bens entre Portugal e Espanha

O sector automóvel – que atravessa um momento crucial com o processo de reindustrialização para fazer frente aos desafios da descarbonização e digitalização que surgem nesta nova era de mobilidade – sofreu um forte impacto económico provocado pela crise da COVID-19. As associações signatárias desta declaração consideram fundamental o trabalho conjunto e um estabelecer de compromissos entre os Governos e os principais representantes do sector automóvel no sentido de restabelecer os níveis pré-crise e liderar a transformação para uma mobilidade livre de emissões.

José Ramos, presidente da ACAP, refere que é fundamental que o governo português implemente um plano de incentivo ao abate de veículos antigos. “O nosso parque circulante é um dos mais velhos da Europa e este plano é muito importante para se alcançar a redução das emissões de CO2, contribuindo assim para a descarbonização da economia”, diz.

José Couto, presidente da AFIA, por seu turno, destaca a importância da indústria automóvel na balança comercial das economias portuguesa e espanhola. O responsável considera ainda “fundamental estabelecer um quadro que garanta uma transformação cuidadosamente gerida para alcançar com sucesso a descarbonização e a digitalização da economia”.

Responsável por 11% do PIB espanhol e por 6% do PIB português, a indústria automóvel representa 9% do emprego em relação à população ativa em Espanha e 12% em Portugal.

As associações signatárias deste acordo são a ACAP – Associação Automóvel de Portugal, a AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, a ANFAC – Asociación Española de Fabricantes de Automóviles y Camiones e a SERNAUTO – Asociación Española de Proveedores de Automoción.