Os incentivos para a aquisição de veículos elétricos (VE) contemplados no Orçamento do Estado de 2021, ainda em discussão, vão manter-se e serão maiores para particulares do que para as empresas.

João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Ação Climática, esclarece que “as empresas, como podem deduzir o IVA da aquisição dos veículos, já têm hoje soluções mesmo muito competitivas no momento da compra”.

BEV já representam 5% das matrículas de ligeiros de passageiros em Portugal. Tesla Model 3 foi o elétrico mais matriculado nos primeiros oito meses do ano

No arranque da Mobi Summit, a decorrer em Cascais, e em declarações à TSF, o ministro assegurou que os incentivos à compra de VE vão manter-se e terão um valor semelhante ao que esteve contemplado no OE deste ano – “à volta dos quatro milhões de euros”.

“Mais do que aumentar este valor, é consignar uma parcela destes quatro milhões de euros aos veículos que vão ser adquiridos por particulares para aumentar a introdução desses VE por parte das pessoas e das famílias”, diz o ministro, que acrescenta que num ano em que as matrículas de veículos sofreram grandes quebras no segundo trimestre, os VE não fizeram parte desse lote, referindo ainda que Portugal se mantém “na linha da frente (…) nesta transição para a mobilidade elétrica”.

“Cada vez mais as pessoas têm um compromisso ambiental, cada vez mais estes veículos vão sendo mais baratos e cada vez mais as pessoas vão percebendo que estes veículos têm uma maior autonomia e muitos menores custos de manutenção e de circulação”, diz João Pedro Matos Fernandes.

Quando questionado sobre a infraestrutura de carregamentos, o ministro do Ambiente diz que a rede vai “aumentar bastante”, destacando o andamento dos concursos para instalação de dez hubs de carregamento elétrico nas cidades e os dez postos de carregamento rápido a localizar nas estradas e perto das grandes cidades, que estarão em funcionamento “no início do próximo ano”, diz.

EDP, GALP, KLC e Power Dot vencem Concessão da Exploração da Rede Piloto Mobi.E

Questionado sobre se os valores de comparticipação para o abate se iriam manter ou aumentar no Orçamento do Estado de 2021, o ministro esclarece haverá valores para comparticipação para a substituição ou aquisição de um VE, ainda que estejam sujeitos a discussão.