A Mercedes-Benz anunciou a sua estratégia de vendas de ligeiros de passageiros para 2021.

Reforçar o estatuto de luxo, elevar o posicionamento e aumentar a diversidade do seu portfolio de produtos são alguns dos caminhos que a marca vai tomar. No entanto, é no seu “total compromisso” com a eletrificação de todos os seus produtos e segmentos que a marca incide o foco.

No âmbito da sua estratégia “Electric First”, a Mercedes-Benz anunciou quatro novos veículos 100% elétricos com base na futura arquitetura de veículos elétricos de grande dimensão (EVA – Electric Vehicle Architecture).

ENSAIO: Mercedes-Benz EQC 400 4Matic

Primeiro chegará o EQS, em 2021. O primeiro representante desta nova arquitetura terá uma autonomia elétrica superior a 700 km (em ciclo WLTP). Logo depois chegam os EQE, o EQS-SUV e o EQE-SUV.

Testes veículos EQ

Num prazo de cinco anos, a marca prevê adicionar ao seu portfolio de veículos elétricos outros modelos, utilizando para isso a segunda plataforma totalmente nova específica de veículos elétricos, a Mercedes-Benz Modular Architecture (MMA) para veículos compactos e de média dimensão.

Aumentar a autonomia elétrica e a eficiência é outro dos novos desafios a que a marca se propõe. Ao avançar no que respeita à tecnologia de baterias, a Mercedes-Benz está a promover ações internas de investigação e desenvolvimento em parceria com a CATL, a Farasis e a Sila Nano.

O programa de tecnologia Vision EQXX é outro dos focos da marca, que delegou a um grupo dos seus engenheiros a tarefa de expandir os limites da autonomia e da eficiência elétrica, com uma equipa que contará com o apoio do grupo Mercedes-Benz F1 HPP, que possui competências em motores elétricos e rapidez de desenvolvimento inspiradas no desporto automóvel.

No que respeita ao software de veículos, e com lançamento previsto para 2024, o MB.OS será o sistema operativo de uso exclusivo da Mercedes-Benz. Desenvolvido internamente, irá permitir à marca centralizar o controlo de todos os domínios dos veículos e de todos os interfaces dos consumidores.

Novo Mercedes-Benz Classe E com preços a partir dos 60.550 euros

Outros pilares da estratégia da Mercedes-Benz para veículos ligeiros

  1. Pensar e atuar como uma marca de luxo: a marca vai reformular o seu portfolio de produtos, as comunicações da marca e a sua rede de concessionários para fornecer “uma autêntica experiência de luxo”, que será elétrica, impulsionada por software e sustentável
  2. Foco centrado no crescimento da rentabilidade: haverá um ajuste na estratégia de vendas, que irão incidir na otimização do equilíbrio entre o volume, preço e o canal de vendas. Os recursos serão concentrados no desenvolvimento de produtos e de capital nas partes mais rentáveis do mercado e nos segmentos onde compete
  3. Alargamento da base de clientes através do crescimento das marcas subsidiárias: a nova estratégia vai colocar as marcas AMG, Maybach, G e EQ num novo patamar, acelerando o seu desenvolvimento
  4. Fidelização de clientes e aumento de receitas: manter uma relação duradoura com os clientes, estimulando “um sentimento de paixão por possuírem um Mercedes-Benz e uma sensação de satisfação pelo relacionamento, ao ponto de serem fiéis à marca no longo prazo”
  5. Menores custos de base e redução do impacto ambiental: melhorar rentabilidade, gerar capital e adotar medidas para preparar o futuro e acelerar a transição para as cadeias cinemáticas elétricas até 2025

*Na imagem, Ola Källenius, CEO da Mercedes-Benz AG