A maioridade

Há cada vez mais SUV compactos e começa a ser difícil encontrar algo que os distinga. Ao perceber isso, em 2020 a Peugeot fez nascer um novo 2008 com garras de se afirmar

Há muitos motivos para gostar deste carro: os que valorizam a estética vão apreciar o facto de se destacar na multidão de SUV compactos que todos os dias chegam ao mercado os que apreciam a condução vão encontrar uma posição facilmente adaptável ao seu gosto e os que pretendem conciliar o uso diário com uma utilização mais familiar vão descobrir espaço. Já quem faz contas aos custos, vai encontrar uma versão com preço para empresas ajustado ao 1.º escalão da Tributação Autónoma, com uma mecânica que satisfaz nos consumos.

Este carácter camaleónico é o ADN do 2008. Já o era na primeira geração, enquanto SUV capaz de surpreender para lá do alcatrão, agora reforça esse aspeto ao propor quase todo o tipo de motorizações, incluindo uma 100% elétrica. E a meio caminho entre a versão de acesso, com motor a gasolina 1.2 de 100 cv ou do exclusivo GT, movido unicamente a energia elétrica, encontra-se o motor a gasóleo 1.5 com 100 ou 130 cv. E este último, somente equipado com transmissão automática de oito velocidades, é a versão ideal para quem procura o lado prático que oferece a condução de um carro com este tipo de caixa de velocidades.

Peugeot 2008 MY2020: Reforçar posicionamento nos SUV e uma versão 100% elétrica

Do conforto com que se deixa conduzir à agilidade, que pode ser tanto maior quanto o modo de condução selecionado, o novo 2008 perdeu, porém, parte da ingenuidade e encantamento do anterior, ao crescer para se aproximar de um tipo de consumidor mais exigente e sofisticado. E abonado.

Isso nota-se não apenas na subida de forma dos materiais e dos acabamentos, como na própria tecnologia que transparece assim que é ligada a ignição. A linguagem do i-Cockpit, com o seu pequeno e peculiar volante passou a contemplar uma instrumentação digital adaptativa e com visão tridimensional, enquanto parte dos comandos digitais adquiriram um elegante controlo por teclas na zona central do tablier, logo abaixo do ecrã tátil que opera o sistema multimédia. O que, definitivamente, veio descomplicar e tornar mais funcional a operação de algum equipamento durante a condução.

peugeot 2008

Impressões

O estilo visual do 2008 é mais impressionante do que o anterior e, em matéria de conforto, regista-se também uma evolução. Parte dela sensitiva, já que a melhoria dos materiais contribuiu para melhorar o ambiente em matéria de insonorização. Outra, mais real, deve-se à carroçaria ligeiramente rebaixada e aos 14 cm a mais de comprimento (metade dos quais usados para alargar a distância entre os eixos), que permitiram ao Peugeot 2008 ganhar estabilidade e uma suspensão mais competente. Tudo isto completado com um bom banco traseiro face às dimensões do exterior, porém fixo, ou seja, não desliza sobre calhas. Por isso, a capacidade da bagageira é sempre de 434 litros, mais inclui pneu suplente, apesar de temporário.

peugeot 2008