Em outubro, as matrículas de ligeiros de passageiros caíram 7,8% na Europa. Depois de ter apresentado uma ligeira melhoria nas matrículas no mês de setembro (+3,1%), o mercado europeu viu serem registadas 953.615 viaturas novas durante o décimo mês do ano (menos 81.054 unidades do que no mesmo mês de 2019).

Segundo a ACEA – Associação Europeia dos Construtores Automóveis, à medida que os vários governos europeus retomaram a aplicação de restrições para combater a segunda vaga da pandemia do novo Coronavírus (COVID-19), o mercado ressentiu-se, com exceção da Irlanda (+5,4%) e da Roménia (+17,6%) – únicos países a apresentarem uma variação positiva no mês de outubro.

Dos principais mercados, Espanha foi o país que registou a maior descida (-21%), sendo seguida, com quedas mais moderadas, pela França (-9,5%), Alemanha (-3,6%) e Itália, que caiu apenas 0,2%.

Acumulado

A pandemia continua, no entanto, a afetar o desempenho anual do mercado de ligeiros no velho continente. Entre janeiro e outubro, as matrículas de ligeiros novos caíram 26,8% – são menos 2,9 milhões de unidades registadas relativamente ao mesmo período de 2019.

Nos primeiros dez meses do ano, Espanha foi, dos principais mercados automóveis europeus, o país que apresentou as maiores perdas (-36,8%). Seguiu-se a Itália (-30,9%), França (-26,9%) e Alemanha (-23,4%).

O caso português

O desempenho do mercado nacional de ligeiros novos fica, em outubro, aquém da média europeia, com um saldo negativo de 12,6%.

Já no período acumulado, Portugal apresenta também valores ainda distantes da média da União Europeia, com uma variação negativa de -37,1%.

Recuperação do sector automóvel europeu passa também pela canalização de fundos para a transição energética, diz ACEA

Valores por marca

Esta é a tabela com os valores de ligeiros de passageiros das 15 marcas automóveis mais matriculadas na União Europeia durante o mês de outubro. Valores do acumulado também disponíveis:

Outubro Janeiro a Outubro
2020 2019 Var. % 2020 2019 Var. %
1.º Volkswagen 105.562 129.723 -18,6% 911.048 1.281,571 -28,9%
2.º Renault 75.174 74.655 +0,7% 614.970 823.765 -25,3%
3.º Peugeot 69.416 73.607 -5,7% 545.979 737.576 -26,0%
4.º Mercedes-Benz 61.927 64.126 -3,4% 480.093 576.170 -16,7%
5.º ŠKODA 52.119 53.455 -2,5% 455.887 552.649 -17,5%
6.º Toyota 49.279 52.849 -8,5% 429.786 516.196 -16,7%
7.º BMW 47.204 55.327 -14,7% 420.363 511.337 -17,8%
8.º Audi 47.136 40.577 +16,2% 379.426 489.416 -22,5%
9.º Fiat 46.983 44.294 +6,1% 373.438 526.183 -29,0%
10.º Ford 45.640 57.614 -20,8% 402.925 595.343 -32,3%
11.º Citroën 41.737 47.295 -11,8% 344.343 498.404 -30,9%
12.º Opel 39.006 39.313 -0,8% 311.315 574.209 -45,8%
13.º Dacia 36.729 36.686 +0,1% 306.951 453.773 -32,4%
14.º Kia 34.693 34.451 +0,7% 282.936 336.039 -15,8%
15.º Hyundai 33.868 39.278 -13,8% 294.100 386.073 -23,8%

 

A Volkswagen continua a ser a marca preferida dos europeus. Manteve a liderança, durante o mês de outubro, face à Renault. Ainda assim, a marca francesa regista um aumento de 0,7% nas matrículas no décimo mês do ano, ao passo que os alemães de Wolfsburg apresentam mesmo uma das maiores quedas (-18,6%) de outubro.

Nota positiva para a Audi, que mantém a tendência de crescimento no mercado europeu. Em setembro, a marca do grupo VW cresceu 16,2% em outubro, ocupando assim a oitava posição das marcas mais matriculadas em toda a Europa (em setembro a Audi foi a 12.ª marca mais procurada pelos europeus).

A tendência de crescimento verificou-se também na Fiat, que viu um aumento de 6,1% face a 2019. Também a Kia (+0,7%) e a Dacia (+0,1%) apresentaram resultados positivos.

No acumulado, as 15 marcas dispostas apresentam todas valores negativos relativamente ao ano passado. Tal resulta, em grande medida, da crise económica provocada pela (COVID-19) e das medidas de restrição e confinamento que a maioria dos governos europeus estão a aplicar.

A ACEA já tinha previsto, aliás, que o mercado de ligeiros de passageiros novos na Europa deveria cair cerca de 25% em 2020.