O Volvo XC40 híbrido plug-in é um SUV compacto que beneficia de um regime fiscal favorável e que, por utilizar um motor a gasolina mais pequeno, o coloca numa posição vantajosa em termos de IUC.

A Volvo vê no XC40 uma aposta segura; prova disso são as diferentes soluções térmicas e eletrificadas que oferece (diesel, gasolina, PHEV e 100% elétrico) e que o colocam como uma das opções de silhueta cada vez mais procuradas por todo o tipo de clientes – a dos SUV compactos.

E embora a aposta da marca nas motorizações térmicas permaneça, essa é uma realidade que vai mudar. Até 2030, a Volvo quer tornar-se numa marca 100% elétrica. Pelo caminho, em 2025, 50% do seu volume de vendas será referente a 100% elétricos.

Mas é sobre o XC40 híbrido plug-in que nos debruçamos – uma solução que combina a eficiência energética de um veículo elétrico com a capacidade de resposta e um desempenho sem esforço de um tradicional motor a combustão interna.

Se a versão diesel do XC40 já encontra alguma resistência no mercado frotista, fruto das crescentes diretivas europeias e da necessidade das empresas em reduzirem a sua pegada de carbono, a versão híbrida plug-in permite não só a dedução do IVA (abaixo dos 50 mil euros), mas também uma redução na taxa de Tributação Autónoma para 10% (em vez de 27,5%).

Além disso, a Volvo tem disponível renting para empresas a partir de 525 euros (sem IVA) em 48 meses e 80 mil km.

Olhemos para os números!

O coração do XC40 híbrido plug-in é composto por:

  • Motor térmico 1.5 a gasolina de 3 cilindros com 180 cv às 5.800 rpm e com um binário máximo de 265 Nm
  • Motor elétrico de 60 kW (82 cv) e com 160 Nm de binário máximo
  • Bateria de iões de lítio de 10,7 kWh de capacidade, colocada no túnel central do veículo

Estes números conferem ao XC40 PHEV uma potência combinada de 262 cv e consumos de combustível combinados, em ciclo WLTP, entre os 2,4 e os 2,0 l/100 km.

A autonomia elétrica em circuito combinado é de 45 km. Já em circuito urbano, a autonomia sobe para os 55 km puramente elétricos.

Quanto às emissões de CO2, a Volvo prevê também no ciclo WLTP valores no intervalo 45-55 g/km.

Volvo XC40 Recharge: um elétrico revolucionário

Modos de condução

Ao volante do XC40 PHEV é possível selecionar vários modos de condução, incluindo um “off-road” que aumenta as capacidades de tração em condições mais difíceis de terreno.

Por defeito, o modo híbrido (“HYBRID”) faz a gestão automática das duas mecânicas em função da condução, com a entrada em ação do motor a gasolina a assumir-se de forma praticamente impercetível.

Já o modo puramente elétrico (“PURE”), ativo enquanto a energia acumulada na bateria de 10,7 kWh o permitir, garante uma condução livre de emissões de CO2 durante um máximo de 45 km.

A estes dois modos de condução junta-se o modo “POWER”, no qual motor elétrico e motor térmico trabalham em simultâneo para alcançar as melhores performances (aceleração 0-100 km/h de 7,3 segundos e velocidade máxima limitada a 180 km/h).

Prático, funcional e conectado

A bordo, o XC40 oferece diversos compartimentos de arrumação, situados nas portas ou debaixo dos assentos, o que reforça o caráter inovador e a sua versatilidade enquanto veículo que, além de emotivo, também pode ser de trabalho.

E porque a conectividade é uma das palavras na ordem do dia, todos os novos Volvo estão conectados graças ao sistema de infotainment que, exibido no interface touchscreen, combina todas as funções do automóvel, bem como navegação ou serviços de entretenimento, completados com a integração com os sistemas Apple CarPlay ou Android Auto.

Os sistemas de segurança e de assistência à condução incluem o Volvo Pilot Assist, o Cross Traffic Alert com Travagem Automática, a última geração do City Safety (um dos poucos sistemas no mercado que deteta peões, ciclistas e animais de grande porte) e até uma câmara 360º, que auxilia os condutores em manobras mais difíceis.

É por isso que o XC40 é um dos mais bem equipados SUV compactos premium do mercado.