A Mercedes-Benz já apresentou o EQE, o próximo modelo da marca alemã baseado na arquitetura elétrica desenvolvida exclusivamente para veículos elétricos (VE).

O EQE é uma limousine desportiva e representa mais uma aposta da Mercedes-Benz na mobilidade elétrica.

Por altura do seu lançamento, a gama será constituída pela versão EQE 350 com um motor de 215 kW (292 cv) e, mais tarde, estão previstas versões com uma potência superior a 500 kW (680 cv).

EQE

Caráter desportivo e amplo

De projeções nas secções dianteira e traseira curtas e com rodas que podem acomodar jantes de 19 até 21 polegadas, o novo Mercedes-Benz EQE prima pelo caráter atlético só ao alcance de uma berlina desportiva.

Com praticamente cinco metros de comprimento (4.94 m) e dois metros de largura (1.96 m), o EQE busca inspiração no “irmão” a combustão interna CLS.

Mas no interior, segundo a Mercedes-Benz, as dimensões excedem as do atual Classe E no espaço para os ombros na fila dianteira (mais 27 mm) ou no comprimento do interior do habitáculo (mais 80 mm).

Disponível com suspensão pneumática AIRMATIC com sistema de amortecimento adaptativo ADS+, o novo EQE permite (como opcional) a instalação de direção no eixo traseiro – ângulo que pode atingir até 10 graus.

Com a direção no eixo traseiro, o diâmetro de viragem é reduzido de 12,5 metros para 10,7 metros.

Mercedes-Benz: o futuro é elétrico

Mobilidade elétrica

Todos os modelos EQE serão equipados com uma cadeia cinemática elétrica (eATS) no eixo traseiro.

Posteriormente, a marca diz que serão lançadas versões com 4MATIC e que serão também equipadas com uma cadeia cinemática eATS no eixo dianteiro.

O que é a cadeia cinemática?

Nada mais que um motor elétrico síncrono de excitação permanente (PSM). Com o PSM, o rotor do motor AC está equipado com ímanes permanentes e não necessita de ser alimentado com energia.

Este conceito garante algumas vantagens, diz a Mercedes-Benz, como é o caso das elevadas densidade de energia, eficiência e constância da energia.

O motor localizado no eixo traseiro integra dois enrolamentos, cada um com três fases.

Os consumos de energia (em ciclo WLTP) anunciados pela Mercedes-Benz situam-se no intervalo 19,3-15,7 kWh/100 km.

Como é a bateria do EQE?

Trata-se de um conjunto de dez módulos com uma capacidade de armazenamento útil de 90 kWh que pode garantir uma autonomia de até 660 km (em ciclo WLTP).

Uma das novidades é a possibilidade da atualização remota, permitida através do seu software de gestão. Isto significa que o sistema de gestão de energia do EQE permanece atualizado ao longo de todo o seu ciclo de vida.

Ao nível de carregamento, com a nova função Plug & Charge do serviço Mercedes me Charge, o EQE pode ser carregado nos postos de carregamento onde essa função está disponível. Este sistema funciona da seguinte forma: o cabo de carregamento é ligado e o carregamento inicia-se automaticamente. Não são precisos qualquer tipo de autenticação ou processos adicionais. O cabo de carregamento estabelece assim a comunicação entre o veículo e o posto de carregamento.

Os clientes do Mercedes me Charge beneficiam ainda da função de pagamento integrada que permite realizar pagamentos automáticos.

Este serviço (o Mercedes me Charge) permite aos condutores de automóveis elétricos Mercedes-Benz o acesso a uma rede de mais de 530 mil postos de carregamento AC e DC (mais de 200 mil situam-se na Europa).

EQE

Segurança e conectividade

No EQE, e dado o facto de este ser construído e desenvolvido com base numa arquitetura de veículo 100% elétrico, foi possível instalar a bateria numa zona protegida contra colisão.

Além disso, e por não se encontrar instalado na frente um grande bloco motriz, foi possível criar um melhor comportamento em colisão.

Estes pequenos detalhes tornam o EQE num automóvel que cumpre com os princípios da Segurança Integral e que, com o seu habitáculo rígido com zonas de deformação programadas e sistemas de retenção com PRE-SAFE, viu o seu desempenho ser validade em extensos testes de componentes, realizados no Centro de Tecnologia de Segurança Automóvel.

Por fim, e além dos habituais sistemas de assistência à condução, o Mercedes-Benz EQE inclui diversas funções de assistência ao condutor.

Uma dessas novas funções é o aviso adicional de microssono do Attention Assist (em combinação com o MBUX Hyperscreen, um painel de instrumentos integrante constituído por um único ecrã largo que se estende pela largura do tablier) que analisa os movimentos das pálpebras do condutor utilizando uma câmara no ecrã do condutor.

Incluída no EQE está a mais recente geração do MBUX. Com o software com capacidade de aprendizagem, o MBUX adapta-se ao utilizador e fornece informações e sugestões personalizadas relativamente a fatores como a informações funcionais, o entretenimento ou o conforto a bordo do veículo.

De notar o esforço aplicado pela Mercedes-Benz na tentativa de proporcionar ao condutor um “design de camada zero”. O que é que isto significa? Significa que o condutor (ou passageiro) não tem de percorrer todos os submenus nem fornecer comandos de voz. As principais aplicações são sempre fornecidas ao nível superior no campo de visão em função da situação e do contexto – isto reduz o esforço do condutor em operações que o podem distrair durante a condução.

EQE