No ano em que celebra 44 anos de existência, aa ARAC realizou, no passado dia 30 de maio, uma Assembleia Geral Ordinária, tendo como pontos de ordem:

  • Análise, a discussão e aprovação do Relatório do Conselho Director e das Contas
    referentes ao exercício de 2018 e do Parecer do Conselho Fiscal
  • Discussão e aprovação do Plano de Actividades e Orçamento para 2019 apresentados pelo Conselho Diretor, bem como o Parecer do Conselho Fiscal sobre estes dois últimos documentos.

Marta Fadigas, presidente da Mesa da Assembleia Geral, Paulo Moura, presidente do Conselho Director e Joaquim Robalo de Almeida, secretário geral da associação, realçaram e abordaram de forma sucinta o trabalho realizado em 2018 e os objectivos para 2019, alguns dos quais são:

  • Reforço da actuação e afirmação da ARAC enquanto parceiro social, quer pela qualidade das suas propostas, quer pela sua capacidade de inovação e agregação de esforços com demais parceiros sociais;
  • Promoção e valorização da imagem da ARAC enquanto entidade representativa da actividade da mobilidade sem condutor;
  • Continuação da aposta na formação profissional dos trabalhadores do sector, os quais constituem o maior dos activos de cada empresa;
  • Acompanhamento dos dossiers em curso na União Europeia respeitantes às
    actividades de locação de meios de mobilidade com especial destaque para:
    a) Direitos dos Consumidores / A New Deal for Consumers
    b) Regulação das relações entre plataformas e prestadores de serviços
    c) Infracções de trânsito transfronteiriças / Cross border traffic fines
    d) Mobility as a Service
    e) Revisão da Diretiva do truck-rental
    f) IFRS 16 – Contabilização das Locações
  • Implementação de um Código de Conduta aplicável às empresas associadas da ARAC que seja para o cliente um garante de qualidade, transparência e rigor nas prestações de serviços efectuadas na linha do definido pela União Europeia;
  • Valorização da imagem dos sectores de locação de meios de mobilidade junto da opinião pública, promovendo o estudo e conhecimento da actividade, divulgando o seu contributo para economia e importância fundamental para o ecossistema de mobilidade.