Os objetivos de redução de emissões das organizações estão associados ao sucesso do movimento de transição energética da respetiva frota. Um trabalho que não se esgota na substituição das viaturas e que pode ser acompanhado por medidas que assegurem a efetiva redução da pegada ambiental da empresa.

Descarbonizar a frota automóvel, substituindo viaturas com motor exclusivamente a combustão por modelos com mecânica híbrida plug-in ou 100% elétrica encontra-se entre os desafios mais importantes que muitas empresas atualmente têm de enfrentar.

Há motivos para isso: é importante dominar a legislação que beneficia fiscalmente a integração deste tipo de veículos, conhecer a oferta e as características dos modelos para encontrar aqueles que melhor se ajustam à renovação dos atuais e entender todo o ecossistema relacionado com a mobilidade elétrica, nomeadamente os diversos modelos e soluções de carregamento.

A novidade e a responsabilidade de tomar decisões acertadas evidenciam a importância de poder contar com o acompanhamento de um parceiro experiente e profissional, capacitado para facultar esta visão abrangente e também para encontrar as soluções mais ajustadas a cada situação.

E foi precisamente para responder a estas necessidades que a Arval desenvolveu a abordagem SMaRT – Sustainable Mobility and Responsability Targets -, um conjunto de ações destinadas a apoiar os clientes através de um trabalho de diagnóstico, consultoria especializada, formação dos condutores e acompanhamento da implementação dos processos, mas que pode também ir além do próprio movimento de transição energética da frota automóvel.

Visão inteligente da sustentabilidade

Desde logo, importa destacar que um dos aspetos inovadores desta abordagem SMaRT reside na abrangência e complementaridade do processo.

“Há um número crescente de empresas com metas e datas definidas para redução das emissões de CO2 das suas frotas. Mas o caminho a fazer, para poder atingir os objetivos, deve ser ele próprio também sustentável, terá de conciliar o interesse económico do negócio com a proteção social e ambiental”, refere João Soromenho, diretor Comercial da Arval Portugal.

“As constantes melhorias na tecnologia de baterias, autonomias mais longas e uma rede crescente de pontos de carga públicos, tornam o renting de um carro elétrico uma solução cada vez mais prática e eficiente”, prossegue.

“Por isso, a Arval desenvolveu um serviço de consultoria especializada, em que avalia se os veículos elétricos são uma boa opção para cada tipo de negócio, percurso e função. Mas a metodologia SMaRT, além de fazer o diagnóstico e contribuir para encontrar as melhores soluções, faz também o acompanhamento do processo da transição energética da frota”.

Mas porque a complexidade deste processo nem sempre oferece alternativas de mobilidade imediatas, refere o diretor Comercial da Arval Portugal, também “avaliamos cenários alternativos em função dos objetivos de sustentabilidade da empresa, construímos um plano de ação ajustado a cada organização”.

Esse plano contempla a participação “em projetos de redução de CO2, como de conservação e de reflorestação, iniciativas de melhoria da eficiência energética ou no âmbito da energia renovável, projetos comunitários de gestão de água e de resíduos… ações que complementam a abordagem SMaRT e que contribuem, quer para a redução de carbono, como se traduzem num forte impacto ambiental e social para a imagem da empresa”.

Consulte o guia de mobilidade elétrica da Arval