A Via Verde já é membro pleno do Tribunal Arbitral de Consumo (CIAB) e do Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo (CNIACC).

Os dois centros fazem parte da rede nacional de arbitragem de consumo, um meio de resolução extrajudicial de litígios cujo objetivo passa por informar empresas e consumidores acerca dos seus direitos e deveres, bem como pela resolução de conflitos através de mediação, conciliação e arbitragem.

Após esta adesão ao CIAB e ao CNIACC, a Via Verde diz estar a pensar também em aderir aos restantes centros de arbitragem com competência regional espalhados pelo país.

A adesão da Via Verde ao CIAB e ao CNIACC vai permitir aos seus clientes recorrerem a estes centros de arbitragem para resolverem situações relacionadas com dúvidas sobre atualização de dados contratuais, questões sobre serviços cobrados e anulação por furto, perda ou roubo do identificador, por exemplo.

Segundo a lei nacional, todos os conflitos de consumo de valor económico até cinco mil euros estão sujeitos obrigatoriamente a arbitragem ou mediação, por opção expressa do consumidor.

Eduardo Ramos, CEO da Via Verde, diz que com as adesões ao CIAB e ao CNIACC, os processos com clientes vão “certamente ficar mais céleres”.

Diz o gestor que haverá maior proximidade e um menor formalismo, o que facilitará a vida quer aos consumidores quer à empresa do grupo Brisa.

“Acreditamos que com estas adesões estamos a demonstrar um compromisso forte da Via Verde com a proteção reforçada dos nossos clientes e uma maior proatividade na resolução de litígios. Acreditamos que o envolvimento de entidades independentes, imparciais e neutras, garantirá uma maior objetividade na sua resolução”, diz Eduardo Ramos.

  • O CIAB tem competência sobre 19 municípios do Norte do país e abrange cerca de 700 mil residentes;
  • O CNIACC está presente em cerca de 200 autarquias com mais de 3,5 milhões de habitantes.

Em ambos os centros, a resolução dos processos demora, geralmente, menos de 90 dias.