O carro indiscreto

Não é possível conduzir este carro e passar despercebido. Ao volante, sentimo-nos como um viajante no tempo que voltou alguns anos antes ao mesmo local. Mas se a descrição faz lembrar o filme “Regresso ao Futuro”, nada tem de ficcional: o carro existe no presente e já roda em Portugal.

A cabeça dos transeuntes gira e acompanha a passagem do carro com um olhar curioso, enquanto na estrada os condutores dos outros veículos vão abrandando e acelerando para apreciarem melhor cada ângulo ou deliciarem-se com a iluminação, principalmente a da traseira, do Hyundai IONIQ 5.

Mas se o traço exterior justifica tal atitude, o interior mostra-se menos futurista: não existem grandes ecrãs para servir de espelho a certos egos e as fichas da Hyundai foram colocadas na racionalidade (oferecer o que realmente é necessário) e na funcionalidade (visão clara e com poucos reflexos, operações intuitivas e, principalmente, ação muito precisa das funções operadas pelo tato no ecrã central de 12,3 polegadas).

Importa frisar que o IONIQ 5 é um carro grande. Não devido aos 4,64 metros que tem de comprimento, antes pelos 1,89 metros que apresenta de largura e, sobretudo, por causa dos quase três metros de distância entre os dois eixos, sem túnel central para atrapalhar.

Carregamento rápido

O IONIQ 5 testado possui um motor elétrico de 218 cv instalado no eixo traseiro, alimentado por uma bateria refrigerada de 73 kWh. Provavelmente, a combinação mais equilibrada entre autonomia e desempenho.

A autonomia anunciada em cidade é de 686 km e, durante o ensaio, foi possível ultrapassar os 400 km sem esgotar a bateria, conduzindo em cidade e muito em estrada, sem exagerar na condução e na velocidade.

Por falar em velocidade, a bateria carrega de forma ultrarrápida, quando ligada a um posto de carregamento com capacidade para fazê-lo: recupera de 10% a 80% de energia em 18 minutos, a um ritmo de 100 quilómetros de autonomia a cada cinco minutos.

Mas como postos com potências elevadas de carregamento, por enquanto, não há muitos em Portugal, num posto rápido de 50 kW precisará de cerca de uma hora para atingir 80% da carga ou mais de seis horas se estiver ligado a um equipamento de corrente alterna de 11 kW de potência.

IONIQ 5

Mais características técnicas e imagens do IONIQ 5

Impressões

A condução tem tanto de vanguardista como de descomplicado. O formato do volante é inovador, mas funciona exatamente da mesma forma, enquanto os comandos, seja no que respeita à condução elétrica (destaque para as patilhas, atrás do volante, para controlar a capacidade de regeneração), quer as que se referem ao sistema de conectividade, navegação ou de som, são de uma funcionalidade espantosamente intuitiva.

E com poucos botões físicos à vista, até o controlo eletrónico do sistema de climatização, destacado do ecrã central, funciona de forma exemplar.

É sobretudo um carro familiar, que acelera o suficiente para mostrar a impulsividade de um carro elétrico e, muito importante, que curva com segurança. Mérito da plataforma que fica muito perto do solo e da distribuição dos módulos da bateria (e do peso) ao longo da base, que ajudam a baixar ainda mais o centro de gravidade.