A mudança para frotas elétricas nas empresas é urgente!

Esta é uma das principais conclusões do “Road to COP26: Como é que as frotas corporativas podem combater as alterações climáticas”, o mais recente whitepaper da LeasePlan que dá conta de que as empresas têm cada vez menos tempo para eletrificar as suas frotas e ajudar a prevenir os efeitos das alterações climáticas.

Num mercado automóvel europeu onde a maioria (cerca de 60%) das unidades novas vendidas têm como destino as empresas e onde, em média, são conduzidas 2,25 vezes mais do que os veículos privados, a passagem para frotas corporativas elétricas poderia, segundo a LeasePlan, “contribuir significativamente para a concretização de um mundo de zero emissões”.

Os especialistas dizem mesmo que os maiores benefícios em termos de emissões nos transportes são provocados pela eletrificação: principalmente se os veículos elétricos forem alimentados por fontes sustentáveis (vento ou energia solar, por exemplo).

No entanto, o caminho ainda é longo, uma vez que 96% das matrículas de novos carros em 2019 eram de carros a gasolina e diesel.

Mas começamos a assistir a uma mudança. Desde 2000, as emissões globais dos transportes aumentaram 1,9% por ano, mas em 2019 aumentarem menos de 0,5%, e o aumento de veículos elétricos nas estradas para isso contribui, diz a LeasePlan.

À medida que a penetração de carros elétricos aumenta, é possível prever a aceleração das reduções das emissões dos transportes rodoviários nos próximos anos. Em 2020, as vendas globais de veículos elétricos “deram um salto de 41% para cerca de três milhões de veículos”. Resultado? Os elétricos apresentam agora uma quota de mercado global de 4,6%, sendo a previsão de que, em 2030, a frota global de elétricos aumente dos atuais dez milhões para 145 milhões.

LeasePlan conquista prémio de melhor “Gestora de Frota” em 2020

Considerando a importância da transição energética, Tex Gunning, CEO da LeasePlan, diz mesmo que os líderes empresariais devem assumir a responsabilidade total no combate às alterações climáticas.

Para o responsável, “a mudança para uma frota elétrica é uma das formas mais fáceis e eficazes de causar impacto”.

Impacto esse que é suportado pelo peso histórico e avanço que as frotas sempre tiveram face ao resto do mercado. Exemplo disso foram a adoção e otimização de conceitos como o renting – anos antes de estes se tornarem populares.

A LeasePlan conclui que as frotas corporativas podem conduzir à passagem para uma mobilidade de emissões mais baixas ou, em última instância, de zero emissões, ao mesmo tempo que tornarão os veículos elétricos mais populares.