Os responsáveis pela aquisição e gestão de frotas das empresas que têm uma visão futurista já estão a embarcar na viagem da eletrificação, adicionando às suas frotas alguns veículos elétricos (VE) e os postos de carregamento necessários para os manter carregados.

Com uma abordagem de “Carregamento Inteligente”, os gestores de frotas podem reduzir os seus custos de carregamento em 40% ou muito mais

100% elétrico ou híbrido plug-in?

Não só são já muitos os parceiros comerciais que atualmente exigem que os seus fornecedores e distribuidores ponham em prática iniciativas de mobilidade sustentável, como também os VE estão a provar serem muito mais económicos do que os veículos com motor de combustão interna (MCI), especialmente quando são considerados os custos de combustível.

A título de exemplo, um estudo recente de um cliente da GoWithFlow comparou o custo operacional de um VE versus um veículo MCI.

Verificou-se que, por cada 100 quilómetros percorridos, o custo de funcionamento e abastecimento de um VE era 91% inferior ao de um veículo MCI: 0,799 euros para um VE versus uns excessivos 9,93 euros para um veículo tradicional alimentado a gasolina ou a gasóleo.

No entanto, apesar de os gestores de frotas estarem a aprender que não podem simplesmente trocar um VE por cada veículo MCI, existem opções de carregamento de veículos que podem ter um impacto dramático nos custos.

É evidente que o próprio posto de carregamento é uma despesa a considerar.

Mas, mais importante, os gestores de infraestruturas e de frotas também devem ser capazes de avaliar o impacto dos custos de eletricidade.

Ao contrário da gasolina ou do gasóleo, existe uma grande variedade de custos de eletricidade, dependendo de fatores como a hora do dia ou a potência elétrica necessária para os carregadores rápidos.

Com uma abordagem de “Carregamento Inteligente”, os gestores de frotas podem reduzir os seus custos de carregamento em 40% ou muito mais.

Isto porque com um carregador padrão básico, o custo para carregar um VE é de cerca de 0,086 euros por kilowatt/hora (kWh), ou cerca de 21,62 euros por mês.

Mas ao usar uma plataforma integrada que conecta VEs, postos de carregamento e operadores de carregamento, os gestores de frota podem monitorizar, gerir e ajustar a utilização para otimizar o consumo de energia.

Isso significa ações como o carregamento noturno, quando os custos de energia são mais baixos, noutros horários fora de pico, ou restringir, quando permitido, o carregamento rápido em função do carregamento mais lento, durante a noite.

Com o Carregamento Inteligente, esse custo por kWh cai para 0,052 euros por veículo, ou 13,02 euros por mês.

A mudança para a mobilidade sustentável pode começar com um VE, mas a infraestrutura de carregamento é a chave para a redução de custos, tanto para as empresas, como para os colaboradores.

Ao considerar as necessidades de transição da sua frota, não deve deixar de incluir:

  • Gestão operacional da infraestrutura de carregamento: Uma rede de carregamento que precisa de ser totalmente integrada no software de gestão de frotas, e uma abordagem com uma plataforma que fornece acesso aos dados que os gestores necessitam para ajustar os horários e os perfis de carregamento para atingir os objetivos de desempenho e custos dos KPIs dos veículos;
  • Lembre-se do utilizador final: Um interface do utilizador final com a infraestrutura de carregamento liga o condutor aos postos de carregamento no trabalho, aos centros de carregamento privados e a sistemas de carregamento doméstico, dando-lhes total confiança para assegurar que o seu veículo está pronto para ser usado e que a faturação está diretamente integrada na sua transação;
  • Apoio e orientação para planear o crescimento futuro: Há ainda muito a ser feito para a implementação do VE, especialmente à medida que a vida útil da bateria aumenta e novos veículos, como camiões médios e pesados, se tornam elétricos. Os gestores de frota necessitam das bases e da experiência para expandir e crescer de uma forma inteligente.

Com um planeamento prudente e uma execução estratégica, os gestores de frotas podem poupar dinheiro na forma como otimizam os tempos de carregamento para tirar vantagem de tarifas mais baixas em horários fora de pico, conceber e gerir uma infraestrutura de carregamento inteligente para uma energia rápida e rentável, e implementar a tecnologia para tirar o máximo partido das soluções de carregamento de baixo custo que possam já estar em funcionamento.

(1) A FLOW é uma empresa com sede em Portugal, constituída em 2019 através de uma parceria tecnológica entre a Galp Energia e o CEiiA, Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto. Providencia software que integra carregamento de veículos elétricos, o compartilhamento, localização, monitorização e otimização da eletrificação da frota em nível empresarial. Neste artigo Jane Hoffer explica a razão por que as empresas devem apostar no desenvolvimento de uma infraestrutura de carregamento “inteligente” e integrada no sistema de gestão de frota, para melhor atingir os objetivos de desempenho e de custo com os seus veículos.