Em 2020, na União Europeia, 11,9% dos carros matriculados eram híbridos (HEV) e 10,5% das matrículas foram para veículos elétricos a bateria (BEV) e híbridos plug-in (PHEV).

Embora tenham sido vendidos menos cerca de três milhões de ligeiros novos na Europa – consequências da pandemia da COVID-19 – a gasolina (47,5%) manteve-se como o tipo de combustível mais procurado pelos europeus, ficando o gasóleo (28,0%) em segundo lugar.

Ainda assim, é notório o crescimento dos HEV, que passaram de uma quota de mercado de 5,7% em 2019 para 11,9%. Já os BEV e PHEV, que em 2019 representavam apenas 3,0% das matrículas europeias, são já mais de 10%.

Janeiro 2021: mercado automóvel “só” cai 28,7% graças aos híbridos

Gasolina e gasóleo

No último trimestre de 2020, as vendas de veículos movidos a gasóleo e gasolina sofreram um rude golpe.

O número de carros diesel matriculados na Europa entre outubro e dezembro caiu 30% (para 730.837 unidades) – a maioria dos mercados registou quebras.

Resultado disso? A quota de mercado de carros movidos a gasóleo caiu de 30,5% no último trimestre de 2019 para 25,4% no último trimestre de 2020.

Quanto aos veículos movidos a gasolina, a queda foi ainda maior (-33,7%) do que a verificada no gasóleo durante o último trimestre de 2020.

Foram matriculados cerca de 1.2 milhões de carros a gasolina entre outubro e dezembro (menos cerca de 500 mil unidades que no mesmo período de 2019).

Exceto a Irlanda, todos os mercados europeus registaram quedas nas matrículas de carros a gasolina entre outubro e dezembro de 2020.

Ainda assim, a gasolina continua a ser o tipo de combustível preferido pelos europeus que procuram ligeiros de passageiros.

Veículos eletrificados

O salto é notório: entre outubro e dezembro de 2020, as matrículas [conjuntas] de BEV e PHEV cresceram 262,8% (de 130.992 unidades em 2019 para perto de meio milhão em 2020) na União Europeia.

A crescente procura por veículos BEV (+216,9%) e PHEV (+331,0%) no último trimestre do ano passado deveu-se, em grande parte, aos incentivos fiscais apresentados por diversos Governos europeus.

Híbridos com benefícios fiscais só com mais de 50 km de autonomia elétrica?

O maior crescimento na procura por BEV, por exemplo, regista-se em países onde esses incentivos fiscais são maiores. É o caso da Alemanha, por exemplo, que viu a procura por este tipo de solução motora crescer mais de 500% nos últimos três meses de 2020.

Os HEV também registaram grande procura no último trimestre de 2020. As vendas deste tipo de motorização duplicaram (+104,7%; de 212.612 unidades em 2019 para 435.260 unidades em 2020).

Entre outubro e dezembro de 2020, os HEV representaram 15,1% do mercado europeu de ligeiros novos.

Foi a primeira vez que, num ano, foram vendidos mais de um milhão de veículos eletrificados na União Europeia (1.182,792 unidades HEV e 1.045,831 unidades BEV e PHEV).

Mobilidade elétrica: Comissão Europeia tem visão muito distante da realidade atual, diz ACEA

Soluções alternativas

Um rápido olhar sobre os veículos movidos a Etanol (E85), GPL e GNV, leva a concluir que houve um aumento de 19,6% deste tipo de soluções durante o último trimestre de 2020.

Os mercados que registaram um maior crescimento no último trimestre de 2020 foram o alemão (+236,6%), o francês (+156,7%) e o italiano (+108,9%).

Todos os veículos movidos a energias alternativas representaram 2,1% das matrículas de ligeiros novos na Europa em 2020.

Os dados apresentados foram compilados pela ACEA – Associação Europeia dos Construtores Automóveis.