Mazda, Toyota e Denso acordaram no desenvolvimento conjunto de tecnologias estruturais de base para veículos elétricos.

Para este fim, uma nova empresa será formada com engenheiros selecionados pelas três empresas, que vão assegurar a implementação de projetos conjuntos de desenvolvimento tecnológico.

O objetivo é ter uma boa base de tecnologias que permita cobrir uma grande variedade de segmentos e diferentes tipos de veículos elétricos que assegurem uma resposta flexível e rápida às tendências do mercado.

O acordo abrange assim uma gama diversificada de modelos, de micro carros a veículos familiares, de modelos comerciais a para todo-o-terreno.

O cumprimento das regras ambientais está a exigir o desenvolvimento de uma ampla gama de motorizações e tecnologias, sendo que estas 3 empresas consideram os Veículos Elétricos (VE) como um campo tecnológico chave nesse processo, lado a lado com os veículos a células de combustível (fuel cell).

Contam para isso com a enorme experiência da Mazda em termos de planeamento de produto e no desenvolvimento baseado em modelagem por computador, as tecnologias de electrónica da Denso e a plataforma Toyota New Global Architecture (TNGA).

A nova empresa estará, assim, envolvida nas seguintes actividades:

  • Investigação sobre as características (arquitectura comum*) que definem uma performance óptima e as funções dos VE do ponto de vista dos componentes individuais e do veículo como um todo;
  • Verificação da instalação dos componentes e da performance do veículo, alcançadas pelo definido no ponto 1);
  • Avaliação do conceito ideal para cada classificação de veículo em relação a cada componente e cada tipo de veículo, alcançadas pelo definido nos pontos 1) e 2).

Através deste projecto de desenvolvimento tecnológico comum, dedicando uma quantidade idêntica de recursos de desenvolvimento, garantindo processos eficientes de desenvolvimento e aproveitando as estruturas de produção existentes, a Mazda e a Toyota pretendem concentrar os seus recursos nos valores fundamentais dos veículos, de modo a permitir a criação de VE atractivos e que encarnem as identidades originais de cada marca, evitando a uniformização dos EV em termos visuais.

As empresas pretendem ainda criar uma estrutura de negócios que está aberta à participação de outros construtores e fornecedores.