A mobilidade traduz movimento e desenvolvimento. As necessidades de mobilidade, no tempo atual e futuro, são crescentes. O Global Outlook do ITF aponta para uma procura crescente de transporte, de 79%, face aos valores atuais, até 2050. O crescimento económico e a legítima necessidade (e direito) de pessoas e bens se deslocarem no território, são motores desta tendência.

A importância estratégica do sector automóvel na economia e na sociedade portuguesas tem-se revelado com particular ênfase num contexto de instabilidade política e desafios económicos globais. Este sector, que se constitui como um motor essencial para o crescimento económico do país, desempenha também um papel crucial na receita fiscal e na coesão social, refletindo a sua intrínseca ligação com as dinâmicas da vida quotidiana dos portugueses.

Analisando os últimos números, verifica-se a relevância indiscutível do sector automóvel na economia nacional. O volume de negócios alcançado foi de 33,7 mil milhões de euros, o que corresponde a 7,2% do total da faturação das empresas portuguesas.

Este indicador reflete não só a capacidade de criação de riqueza do sector, que atingiu 4,5 mil milhões de euros (equivalente a 4% do Valor Acrescentado Bruto gerado pelas empresas), mas também a sua influência significativa nas exportações, com 9,3 mil milhões de euros, representando 12,7% das exportações nacionais de bens.

No que concerne ao emprego, o sector automóvel emprega cerca de 151 mil trabalhadores, o que representa 3,6% do total do emprego empresarial, e conta com aproximadamente 33 mil empresas, equivalendo a 2,4% do total nacional.

Quanto às receitas fiscais, o sector gerou 8,9 mil milhões de euros em 2022, representando 17,1% das receitas fiscais do Estado.

No ano de 2023, o sector automóvel manteve a sua importância estratégica. De janeiro a outubro de 2023, foram matriculados 195.781 novos veículos, marcando um crescimento de 29,9% em relação ao período homólogo de 2022, mas ainda com uma queda de 13,7% face ao mesmo período pré-pandemia de 2019. Estes números indicam uma recuperação progressiva do sector, embora ainda não tenha retornado aos níveis de atividade pré-COVID-19, a exemplo do que se verifica na União Europeia.

Para além do seu impacto fiscal, o sector automóvel desempenha um papel central na coesão social. A mobilidade é um direito e uma necessidade fundamental, essenciais para a ligação entre pessoas, comunidades e mercados.

No panorama político, a queda do Governo tem gerado uma atmosfera de incerteza, em vários sectores, incluindo o automóvel. Este contexto de instabilidade política pode influenciar negativamente a atividade económica, especialmente em termos de investimentos e confiança dos consumidores. A esta situação acresce o contexto internacional, agravado com a crise recente em Israel e na Faixa de Gaza.

Contudo, foi positivo que o Senhor Presidente da República tivesse permitido que o Orçamento de Estado para 2024 fosse aprovado, no seu calendário normal, tal como se pretendia e foi defendido pelas Confederações empresariais.

Uma das medidas positivas negociadas e previstas na proposta de Orçamento de Estado é a reintrodução do incentivo ao abate de veículos em fim de vida. Esta é a única medida que pode rejuvenescer o parque automóvel português, tal como aconteceu em Espanha, França ou Itália. A implementação efetiva deste programa é fundamental para impulsionar a transição para uma mobilidade mais sustentável e para dinamizar a economia.

Também a proposta de redução das taxas da Tributação Autónoma (negociada no âmbito do Acordo de Rendimentos) é, desde logo, uma medida a salientar.

Olhando para o futuro, o sector automóvel em Portugal está bem posicionado para continuar a sua trajetória de crescimento e inovação. A transição para veículos mais sustentáveis está em curso e é irreversível, e as empresas portuguesas estão a acompanhar esta transformação.

Este movimento contribui para a sustentabilidade ambiental e abre novas oportunidades de negócio e emprego, reforçando a posição de Portugal no panorama automóvel global.

O sector automóvel representa um pilar crucial da economia e da sociedade portuguesas. Assegurar o seu desenvolvimento sustentável é essencial para garantir um futuro próspero e estável para Portugal.