A Renault apresenta o Austral, o SUV que, desenhado com base na terceira geração da plataforma CMF-CD da Aliança, equipa diversas tecnologias eletrificadas, incluindo um novo motor híbrido E-TECH.

Segundo a Renault, o Austral representa o espírito da Renaulultion da marca francesa para o segmento C-SUV – completando uma gama que aposta forte no segmento C (que conta já com o Arkana e o novo Mégane E-TECH Elétrico).

Mégane E-TECH Elétrico: a Geração 2.0 dos elétricos Renault

Este é um carro, acima de tudo, conectado e tecnológico, incluindo um ecrã OpenR de grandes dimensões que aloja o sistema multimédia.

E é no ecrã OpenR que a tecnologia abraça o condutor.

renault austral

O cockpit do Austral exibe um grande ecrã que, segundo a Renault, é a sua “joia da coroa”. O ecrã em L invertido exibe um painel de instrumentos digital e uma interface multimédia da consola central.

Além das suas propriedades resistentes a riscos, choques e repetidas limpezas, o ecrã OpenR adapta-se à luz envolvente e tem características que asseguram que é facilmente lido, mesmo sob luz solar direta – um problema que pode afetar quem passa grande parte do dia ao volante.

Renault Austral híbrido

Este é o primeiro modelo da Renault a beneficiar das vantagens da nova plataforma CMF-CD da Aliança.

Concebida para suportar diferentes tipos de hibridização, esta plataforma permite à marca equipar o Austral com diferentes soluções eletrificadas – todas com blocos a gasolina:

  • E-TECH Hybrid
  • Mild Hybrid Advanced com bateria de 48V
  • Mild Hybrid com bateria de 12V

Para já não está pensada nenhuma versão híbrida plug-in para este modelo.

O motor E-TECH híbrido auto recarregável conta com um bloco 1.2 litros a gasolina de três cilindros, turbo, de 96 kW e 205 Nm de binário está associado a um motor elétrico de 50 kW e a uma bateria de iões de lítio de 1,7 kWh/400V.

O novo Austral E-TECH Hybrid está disponível em variantes de 160 cv ou 200 cv. Os valores de consumo começam a partir dos 4,6l/100 km. Já os valores das emissões de CO2 estão um pouco acima dos 100 g (105 g/km).

renault austral

Uma alternativa ao diesel?

A Renault diz que sim. O motor Mild Hybrid Advanced combina um motor a gasolina 1.2 litros de três cilindros de 130 cv, com uma bateria de iões de lítio de 48V e um motor de arranque/gerador.

Segundo a marca, este bloco aproveita quatro características principais para ajudar o novo Austral a atingir um melhor nível de eficiência de combustível e emissões de CO2 (a partir de 5,3 l/100 km e 123 g/km, respetivamente).

A eficiência da combustão deste modelo melhora através da implementação de um ciclo de combustão “Miller” utilizado na Fórmula 1 e da adição de uma válvula de recirculação de gases de escape arrefecida a baixa pressão.

Assim, graças a estas evoluções tecnológicas, a Renault avança que o Austral MHEV Advanced consegue igualar os motores diesel mais recentes e assegura até 20% menos utilização de combustível do que um motor similar não-híbrido.

Mild Hybrid de 140 cv ou 160 cv

Unidade que recorre a um bloco a gasolina de quatro cilindros, 1.3 litros turbo de injeção direta.

Desenvolvido em colaboração com a Daimler, é assistido po rum motor de arranque/gerador e uma bateria de iões de lítio de 12V.

Esta variante do Austral estará disponível com 140 cv ou 160 cv, com a transmissão automática X-TRONIC, ou apenas como 140 cv na variante de caixa manual.

A tecnologia aplicada neste Mild Hybrid acrescenta uma função Stop & Start melhorada e apresenta a nova função Sailing Stop nos modelos de caixa automática. Esta função ajuda a regenerar energia nas travagens e desliga o motor ao desacelerar, permitindo uma redução do consumo de combustível e das emissões.

O binário máximo desta unidade é de 270 Nm (disponível entre as 1.600 rpm e as 3.250 rpm) e o consumo de combustível misto é de 6,2 l/100 km. As emissões de CO2 são de 136 g/km percorrido.

renault austral